Goleiro da Inglaterra agora critica os gramados da Copa

A Inglaterra já reclamou da bola, do calor, das lesões, da falta de sorte e da retranca dos adversários. O goleiro Paul Robinson resolveu adicionar mais um item a essa lista: os gramados dos estádios alemães. Segundo o camisa 1 inglês, ?os campos são muito secos e duros, e isso prejudica a qualidade de passe do nosso time?. Para Robinson, ?deveriam colocar mais água nos campos antes dos jogos. Do jeito que está, nosso ritmo de jogo acaba sendo prejudicado, ficando mais lento?.Robinson já havia reclamado da bola da Copa, feita pela Adidas. ?Parece bola de pólo aquático, vem numa trajetória que não dá para definir. Definitivamente não é boa para os goleiros?.As lesões - de Owen, Gary Neville, Rooney - também já foram motivo de lamentação. Dentre esses jogadores, só Rooney está confirmado para o jogo contra Portugal, sábado, em Gelsenkirchen. Gary Neville, com uma lesão na panturrilha, ainda é dúvida. E Owen, depois de torcer o joelho contra a Suécia, até já voltou para a Inglaterra.A retranca dos adversários - Paraguai, Trinidad & Tobago, Suécia e Equador - também já foi motivo de muita reclamação dos ingleses. Mas nenhum fator foi tão lamentado quanto o calor que tem feito na Alemanha. Domingo, em Stuttgart, contra o Equador, o calor foi tão forte (mais de 30 graus Celsius) que o meia David Beckham passou mal e vomitou em campo. Sábado, em Gelsenkirchen, a metereologia prevê sol e temperaturas de 27º C.Com a arbitragem, por enquanto, nenhum problema. Os ingleses só esperavam que o meia Luis Figo, estrela de Portugal, fosse punido pela Fifa por causa de uma agressão a um jogador holandês na partida do último domingo. A Fifa rejeitou o pedido inglês e Figo está liberado para jogar sábado.Velho costumeReclamar da falta de sorte é um esporte nacional na Inglaterra. Depois de ser campeã mundial em 1966, os ingleses foram eliminados numa prorrogação em 1970, ficaram fora dos Mundiais de 1974, 1978 e 1994, caíram invictos em 1982, perderam para "la mano de Diós" de Maradona em 1986 e nos pênaltis em 1990 e 1998. Em 2002, viram Ronaldinho Gaúcho mandá-los de volta para casa com um chute de mais de 30 metros que entrou no ângulo direito do goleiro David Seaman. O técnico do Brasil era Luiz Felipe Scolari, que hoje treina Portugal.?Já sofremos demais com a falta de sorte. Uma hora ela virá para nosso lado?, diz o técnico Sven-Goran Eriksson que, para acalmar a torcida inglesa, sempre afirma ser um ?otimista nato?. Eriksson, vale lembrar, é sueco.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.