Divulgação/Prefeitura de Bento Gonçalves
Divulgação/Prefeitura de Bento Gonçalves

Goleiro de time gaúcho vira voluntário em obra de hospital para vítimas da pandemia

Jonatas, do Esportivo, de Bento Gonçalves (RS), atua como auxiliar de pedreiro na construção de 40 novos leitos na cidade

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

30 de março de 2020 | 11h53

O goleiro Jonatas trocou o campo de treinos e os jogos pelo canteiro de obras durante a paralisação do Campeonato Gaúcho em função da pandemia do novo coronavírus. O jogador do Esportivo, de Bento Gonçalves (RS), decidiu conciliar a quarentena com os trabalhos como voluntário na instalação de 40 novos leitos em um hospital da cidade. A reforma tem como objetivo aumentar a capacidade de atendimentos para pacientes infectados pela doença. Ele exerce a função de auziliar de pedreiro. Sua dedicação ganhou a todos na obra.

A decisão de deixar de lado o futebol e se aventurar na construção civil veio depois de Jonatas saber pelas redes sociais que a prefeitura da cidade buscava voluntários para ajudar no aumento da capacidade de atendimentos da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Bento Gonçalves. O goleiro de 38 anos se apresentou no local semana passada e tem trabalhado no turno da manhã, a partir das 7 horas até por volta de umas 15 horas.

"Eu faço de tudo um pouco. Carrego material, limpo as áreas que estão sujas, levo água para os companheiros e tento facilitar o trabalho dos outros. Como não entendo muito da parte técnica de uma obra, tento pegar no pesado", disse Jonatas ao Estado, por telefone. Em média, 40 pessoas são voluntários junto com ele. Antes de atuar no hospital, o goleiro conta ter participado como pintor voluntário na obra de uma igreja, também em Bento Gonçalves.

O início de Jonatas no batente no hospital foi na verdade um pouco às escondidas, como ele próprio admite. "Eu tentei ser discreto, porque o clube recomendou ficar em casa, em quarentena. Mas depois que fui descoberto na obra, teve boa repercussão e o clube ficou até contente. Os diretores do Esportivo vieram conversar comigo, me elogiaram bastante. Agora eu tento convidar mais colegas de time para ajudar na construção", diz.

O goleiro foi descoberto na obra por acaso. Como é preciso trabalhar de máscaras, Jonatas só foi reconhecido por um torcedor quando todos os voluntários fizeram um intervalo para o lanche. Enquanto estava sem máscara e fazia a refeição, Jonatas acabou notado pelos demais. A presença dele virou o assunto no hospital e até mesmo funcionários da prefeitura foram ao local para agradecer pela atitude.

"Eu me sensibilizei pela obra, pela atitude das pessoas. É muito legal porque tem muita gente colaborando. O mais legal é fazer novas amizades e conhecer pessoas de outras áreas, fora do futebol. Enquanto o calendário esportivo estiver parado, vou procurar colaborar. Isso me tem feito muito bem", disse o goleiro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.