Goleiro do Santos revela que se espelha em Marcos

Felipe, único dos 39 jogadores do elenco que participou dos 15 jogos na temporada, não sabe até quando será titular - Fábio Costa está quase pronto para voltar e disputar posição -, mas se sente mais maduro e espera ter seu trabalho reconhecido.

SANCHES FILHO, Agencia Estado

12 de março de 2010 | 20h46

"Eu não me considero titular, mas estou mais maduro e preparado. Prefiro pensar no presente e deixar que no futuro o professor Dorival decida quem vai jogar", disse goleiro nesta sexta-feira, no CT Rei Pelé.

Embora seja companheiro de Fábio Costa no Santos, o goleiro ídolo de Felipe é de outro grande clube paulista. "Eu me espelho em Marcos. Ele é um exemplo não apenas para mim, mas todos os goleiros. Ele ajuda até os meninos da posição que estão na base. Não há como não admirar a história dele. Sou muito fã do Marcão mesmo. Num jogo troquei a camisa com ele, enquadrei e coloquei numa parede da minha casa", revelou o goleiro de 22 anos.

Admiração à parte, Felipe acha que se o Santos tiver chance, tem que atropelar o Palmeiras no clássico de domingo, na Vila Belmiro. "É um adversário perigoso, de grande tradição e se ganhar da gente pode se classificar para as semifinais. E se o Palmeiras entrar, será forte candidato ao título", finalizou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.