Érico Leonan|Divulgação
Érico Leonan|Divulgação

Goleiro do São Paulo volta aos treinos após cirurgia de apendicite

Reserva de Denis, Renan Ribeiro ficou mais de um mês parado

O Estado de S. Paulo

07 de abril de 2016 | 18h57

O goleiro Renan Ribeiro, do São Paulo, retomou nesta quinta-feira o trabalho com o elenco depois de passar por uma cirurgia de apendicite no começo de março. O jogador, que costuma ser o reserva imediato de Denis, foi liberado pelo departamento médico para reiniciar os trabalhos no gramado antes de ficar à disposição do técnico Edgardo Bauza.

Nos próximos dias o goleiro volta a trabalhar com os companheiros de posição para trabalhar os fundamentos e aos poucos, participar de treinos mais intensos. "Neste início de readaptação é preciso ter um pouco de cuidado. Ainda não posso fazer as quedas, mas só de poder treinar já fiquei muito feliz. Jogar futebol é o que eu mais amo fazer, e por isso não vejo a hora de voltar", explicou.

Renan Ribeiro veio do Atlético-MG e foi contratado em 2013. Apenas na temporada 2015 que o goleiro recebeu a oportunidade de estrear, em partida contra o Portuguesa, pelo Campeoanto Paulista. Desde então, disputou 11 jogos pelo clube ."Fiquei feliz com a minha recuperação, porque foi boa. Agora, posso avançar para uma nova etapa e aumentar pouco a pouco a intensidade nos treinos", comentou.

Nesta quinta-feira o volante Wellington foi submetido a uma cirurgia para correção de ruptura no ligamento cruzado do joelho direito. O procedimento comandado pela equipe do ortopedista Rene Abdalla e durou aproximadamente 1h30, segundo o São Paulo. A tendência é ele ficar cerca de seis meses em recuperação.

O jogador vai continuar internado até o final desta semana, quando deverá ter alta para voltar para casa. A primeira etapa de fisioterapia será feita na residência do jgoador, sob supervisão do departamento médico. Na sequência Wellington iniciará o trabalho de recuperação no CT da Barra Funda.

Wellington sofreu a lesão no último sábado, no Centro de Treinamento da Barra Funda, durante uma atividade com os atletas não relacionados para a partida contra o Oeste (2 x 1). Na ocasião, o volante sofreu um entorse no joelho e precisou deixar a atividade antes dos companheiros.

O volante retornou ao clube no começo do ano após empréstimo no Inter, onde foi pego no exame antidoping. Como punição, Wellington só poderia voltar a atuar em maio deste ano.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.