Goleiro é ameaçado de morte na Croácia

Miro Varvodic e treinador de goleiros do Hajduk foram ameaçados por causa de fracas atuações

EFE

10 de maio de 2008 | 13h37

Zoran Varvodic, treinador de goleiros do Hajduk croata, e seu filho Miro, atual titular da posição na equipe, receberam ameaças de morte por parte de desconhecidos, a princípio relacionadas as fracas atuações do jogador.   Zoran, que foi goleiro da equipe nos anos 80, disse ter recebido 50 ligações para seu celular e uma série de mensagens com insultos e ameaças por causa das más atuações de seu filho.   "Já tinha denunciado os fatos à Polícia em fevereiro, mas as ameaças se intensificaram. Agora são enviadas ao telefone do meu filho", disse Zoran ao jornal "Slobodna Dalmacija".   As mensagens supostamente levam a assinatura de um grupo de torcedores radicais, mas o treinador de goleiros não acredita no envolvimento da torcida do clube no assunto. "Não é seu estilo", comentou.   A imprensa local especula com que o autor das ligações e mensagens é um empresário que representa outro goleiro do Hajduk, com o intuito de desestabilizar a família Varvodic e fazer que seu cliente jogue.   O tradicional Hajduk passa por um péssimo momento e ocupa a quarta colocação no Campeonato Croata, a 27 pontos do campeão Dínamo, por quem foi derrotado por 3 a 0 na final da Copa da Croácia na última quarta.   Na sexta-feira, cerca de 60 torcedores radicais invadiram o campo e interromperam o treino da tarde para "alertar" os jogadores e falar com o técnico, Robert Jarni.   Jarni aceitou conversar com os torcedores para acalmar os ânimos e eles foram embora sem que fossem registrados episódios violentos.

Tudo o que sabemos sobre:
Ameça de morte

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.