Jason Cairnduff/Reuters
Jason Cairnduff/Reuters

Goleiro Ederson relembra infância são-paulina, idolatria por Ceni e desafio por refrigerante

Destaque do Manchester City e convocado constantemente para a seleção brasileira, jogador lembra de seu início de carreira

Redação, O Estado de S.Paulo

04 de agosto de 2020 | 10h15

Um dos destaques do Manchester City na temporada, o goleiro Ederson deu uma entrevista para o canal oficial do clube e relembrou do início de sua carreira. Convocado constantemente pelo técnico Tite para a seleção brasileira, o goleiro começou na base do São Paulo e hoje é considerado um dos melhores da posição.

Em entrevista ao canal oficial do clube, Ederson lembrou de sua infância defendendo o São Paulo, da idolatria por Rogério Ceni e de suas apostas com os amigos, valendo litros de refrigerante. 

"Eu brincava mais na rua, jogava descalço. A gente enfrentava contra os meninos da rua de trás e a gente jogava valendo dois livros de Dolly (refrigerante). Eu saia com o pé todo estourado, mas era uma alegria ganhar", contou o jogador. 

Ainda criança, por volta dos 12 anos, ele chegou ao São Paulo e passou a cultivar uma idolatria por Rogério Ceni. "Sempre me inspirei no Rogério Ceni. Quando comecei a jogar na escolinha, eu jogava na linha e não tinha um ídolo, mas quando fui para o gol, passei a acompanhá-lo e desde então foi minha inspiração, meu ídolo". 

Confira a entrevista completa do goleiro

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.