Goleiro Felipe, do Santos, é absolvido em caso de doping

O goleiro Felipe, do Santos, foi absolvido nesta segunda-feira pelo Superior Tribunal de Justiça da acusação de doping. O exame do jogador realizado após a partida contra o Grêmio, em outubro de 2006, havia dado positivo para hidrocloratiazida. Ele corria o risco de ficar um ano afastado dos jogos oficiais. A Procuradoria do tribunal vai recorrer da decisão. Depois de mais três horas de julgamento nesta segunda, dois auditores votaram contra e dois a favor da condenação do goleiro. Em caso de empate, o STJD tem como norma declarar o réu inocente. ?A hidrocloratiazida gerou mais efeitos nocivos para ele do que modificou seu rendimento. A substância prosta o jogador?, declarou o presidente da comissão, Wanderley Rebello, que optou por dar o voto de absolvição ao goleiro. A defesa do jogador alegou que ele teria ingerido a substância por engano - a hidrocloratiazida não tem efeito dopante e é encontrada em medicamentos para coração, fígado ou rins. Durante a explanação do advogado do Santos, Mário Mello, o goleiro chorou. ?Se fosse outro jogador, eu talvez não viesse ao tribunal. Coloco a minha mão no fogo por ele. Ele não me contou que tomou o remédio por esquecimento?, disse o médico do Santos, Carlos Braga, que exerceu papel de testemunha. Em seu depoimento, Felipe disse que ingeriu o diurético por recomendação da tia, cujo nome não foi revelado, pois estava com muita dor de cabeça. ?Não bebo, não fuma e sou caseiro.? Felipe havia sido suspenso preventivamente, e, por isso, foi cortado da seleção sub-20 que está sendo disputando o Campeonato Sul-Americano da categoria, no Paraguai.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.