Reprodução/Instagram
Reprodução/Instagram

Goleiro Marcos posta foto de tapete com arma em apoio a Bolsonaro e ataca seguidores contrários

Ex-jogador do Palmeiras diz que aqueles que deixaram de ser seu fãs fazem parte de uma "geraçãozinha de b.."

Redação, O Estado de S.Paulo

19 de junho de 2020 | 10h51

O ex-goleiro e ídolo do Palmeiras, Marcos, publicou uma foto em apoio ao presidente Jair Bolsonaro em seu perfil oficial do Instagram, na última quinta-feira, dia 18. A publicação mostra um tapete, geralmente utilizado na entrada de residências, com a imagem de um revólver e dizeres de apoio ao presidente da República.

"Se veio aqui falar mal do Bolsonaro, desculpa, mas veio no lugar errado", diz a mensagem escrita em seu tapete. Marcos limitou-se apenas a publicar a foto. Ele não escreveu nada na legenda. 

A postagem dividiu seus seguidores. Enquanto uns apoiam o ex-goleiro do Palmeiras, outros dizem "não acreditar no que estão vendo", já que o tinham como ídolo por boa parte de suas vidas. "Não, Marcão. Não se apegue a um cara que não crê na doença. Perdi meu sogro há uma semana por covid-19. É triste. Sou seu fã demais. Não se apegue a esse cara, te falo sem ideal político", comentou um seguidor.

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

 

Uma publicação compartilhada por MARCOS (@marcosgoleiro_12) em

  

Em resposta, Marcos lamentou a morte do sogro do torcedor que fez o comentário e disse que amigos de idade que tomaram hidroxicloroquina sobreviveram, mas que isso poderia ter acontecido por sorte. "Sinto muito pelo seu sogro! Tive dois amigos que fizeram o protocolo da Unimed de hidroxicloroquina e se recuperaram. Pode ser sorte, pode ser um tratamento, um dia iremos saber a verdade, sem politicagem", disse Marcos.

Em resposta a outro seguidor, que apoia sua publicação e chama os que pensam de forma contrária de "frágeis delicadinhos", Marcos disse com ironia: "Aim, você era tanto meu ídolo. Que gerçãozinha de b... véi (sic). Deus o livre".

Não é a primeira vez que o ex-goleiro se envolve em polêmicas que dividem seus seguidores. Ainda em junho, ele disse que teria aceitado jogar no Corinthians por conta da torcida de "Zé Ruela" que se tornou a do Palmeiras. Posteriormente, o ex-goleiro pediu desculpas. 

 

Tudo o que sabemos sobre:
PalmeirasfutebolJair Bolsonaro

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.