Bruno Haddad/Cruzeiro
Bruno Haddad/Cruzeiro

Goleiro Rafael reconhece jogo ruim do Cruzeiro e pede reação no Brasileiro

Tropeço em casa para o Ahtlético-PR deixou a equipe mineira às portas da zona de rebaixamento

Redação, Estadão Conteúdo

27 de julho de 2019 | 22h06

O goleiro Rafael reconheceu neste sábado a atuação fraca do Cruzeiro na derrota por 2 a 0 para o Athletico-PR, na noite deste sábado, na abertura da 12ª rodada do Campeonato Brasileiro. O tropeço deixou a equipe mineira às portas da zona de rebaixamento.

O técnico Mano Menezes mandou um time completamente reserva, poupando os titulares para o jogo de volta contra o River Plate, no meio de semana, no Mineirão. Ele colocou alguns jovens em campo como o meia Maurício e o zagueiro Cacá. Mesmo assim, o time saiu de campo vaiado. Alguns medalhões como Fred e Dodô foram xingados quando tocavam na bola.

"Hoje não adianta enganar o torcedor. Fizemos um jogo muito abaixo do que este time alternativo fez contra o Bahia e, por conta disso, eles fizeram o resultado. Agora é levantar a cabeça, melhorar no Brasileiro. Às vezes não conseguimos colocar o que a gente queria, mas bola para frente. É continuar trabalhando, melhorando e focar na Libertadores", comentou o goleiro Rafael.

Com apenas uma vitória nos últimos 15 jogos, o Cruzeiro aumentou o jejum de triunfos no Brasileirão para nove partidas. O retrospecto ruim colocou a equipe na beira da zona de rebaixamento, com dez pontos, apenas um na frente do Fluminense. O time mineiro, no entanto, pode terminar a rodada na degola caso a Chapecoense derrote o Bahia, fora de casa.

"Claro que preocupa. A gente queria muito ter saído com a vitória, precisávamos desse resultado, mas vamos trabalhar. É continuar dando ritmo, vamos precisar de todos os jogadores. O ano é longo, são várias competições no calendário, muitos jogos. Vamos tentar colocar a cabeça no lugar para terça-feira, passar, pegar confiança. Precisamos de uma vitória para deixar a parte debaixo da tabela", acrescentou o goleiro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.