Rui Vieria/AP
Rui Vieria/AP

Goleiros e campeões mundiais em 1966 prestam homenagem em funeral de Gordon Banks

Cortejo com o caixão do jogador lendário percorreu as principais ruas de Stoke-on-Trent, na Inglaterra

Redação, Estadão Conteúdo

04 de março de 2019 | 15h58

A cidade de Stoke-on-Trent, na Inglaterra, viveu um dia especial nesta segunda-feira. Cerca de 20 dias depois da morte do lendário goleiro inglês Gordon Banks, o Stoke City, clube em que ele jogou por cinco temporadas entre os anos 1960 e 1970, realizou um funeral aberto para torcedores com a presença de goleiros da atualidade, colegas da seleção campeã mundial de 1966 e até mesmo de Gareth Southgate, o atual treinador do time nacional.

A cerimônia começou em uma igreja da cidade e, em seguida, um cortejo com o caixão percorreu as principais ruas até o estádio do Stoke City, onde parte das arquibancadas foram ocupadas por fãs, que formaram a frase "Well Be With You" (Estaremos com você) com cachecóis. Também foram depositadas flores, camisas e outros objetos no portão do estádio, onde há uma estátua do ex-goleiro.

Entre os nomes do futebol que compareceram ao funeral estão Geoff Hurst (artilheiro da Inglaterra no Mundial de 1966), Peter Coates, Roger Hunt e Sir Bobby Charlton, além de goleiros da atualidade como Kasper Schmeichel, Joe Hart, Jack Butland e Joe Anyon. Alguns deles fizeram questão de carregar o caixão de Banks depois da cerimônia na igreja.

Hurst distribuiu elogios ao ex-colega de seleção. "Banks era um superstar no campo, mas fora dele era um cara simples. Ele era um brincalhão, muito divertido. Por mais de 50 anos, sempre que nos encontrávamos, ele sempre vinha com alguma brincadeira", disse o ex-atacante.

"Conheci Gordon de perto nos últimos anos e é uma grande honra para mim ser uma das pessoas a carregar seu caixão. Tenho certeza de que os outros rapazes sentem o mesmo e somos gratos à família de Gordon por nos confiar um papel tão importante. É uma emoção incrível e a chance de celebrar um homem maravilhoso", disse Jack Butland, goleiro do Stoke City.

Gordon Banks foi o autor da "defesa do século" durante a Copa do Mundo de 1970, no México, contra o Brasil, pela fase de grupos. Pelé, autor do cabeceio defendido pelo goleiro inglês, foi um dos que prestou tributos à lenda inglesa. A causa da morte aos 81 anos não foi divulgada, mas desde dezembro de 2015 ele lutava contra um câncer renal.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.