Gols devolvem confiança a Diego

O gol não saia e o meia santista Diego sempre comentava que sua função principal na equipe era a coordenação das jogadas. O técnico Leão pensa diferente e quer o jogador mais avançado, perto da área. No jogo contra o Jorge Wilstermann, a mudança deu certo e o meia marcou seus dois primeiros gols na temporada. Satisfeito, ele falou nesta sexta-feira pela primeira vez sobre o fato de ter desencantado para os gols, porém lembrou: "para mim foi excelente e espero fazer sempre o que é possível mas, por enquanto, não sou artilheiro".Na opinião de Diego, o gol acaba sendo importante, mesmo para um jogador do meio, "pois quando ele sai, tudo de bom aparece". Faz esse comentário e emenda: "à vezes, você faz uma excelente partida e, como não marca gol, acaba apagando tudo de bom que fez".O jogo contra o Jorge Wilstermann foi o primeiro da fase que Leão chama de Novo Santos. "A postura tática mudou", reconhece Diego, explicando que "a equipe ficou mais compacta, há sempre nove ou dez jogadores atrás da linha da bola e uma saída mais organizada para o ataque, o que deu resultado". Ele revela que está se enquadrando na nova orientação do técnico Leão e acha que seu trabalho pode ficar mais fácil. "Com isso, a aproximação da área ficou mais fácil e, sempre que possível, vou estar ali para aproveitar as oportunidades", disse ele, lembrando que há um revezamento natural dos jogadores. "Lógico que uma hora ou outra vou ter que voltar para fazer a marcação e o Elano vai chegar na minha frente, mas é importante a gente revezar".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.