Alexandre Lops/Divulgação
Alexandre Lops/Divulgação

Gols no fim fazem Dunga minimizar derrota do Inter para o Náutico

Placar de 3 a 0 foi construído nos últimos minutos com dois gols de Maikon Leite

AE, Agência Estado

29 de julho de 2013 | 10h25

RECIFE - O técnico Dunga minimizou o peso da derrota por 3 a 0 sofrida diante do Náutico, a pior do Inter nesta temporada, amargada no último domingo, na Arena Pernambuco, em Recife, onde o time gaúcho acabou deixando a liderança do Campeonato Brasileiro. O treinador evitou criticar o desempenho de sua equipe e lembrou que os dois últimos gols do jogo ocorreram nos minutos finais - Maikon Leite marcou aos 43 e Rogério aos 45 do segundo tempo.

A própria situação desesperadora do Náutico, que com o triunfo deixou a lanterna da tabela, foi citado pelo comandante como um fator importante para a derrota. "Cada jogo do Campeonato Brasileiro é uma decisão, principalmente contra as equipes que não estão bem quando jogam em casa", analisou.

Dunga também acredita que o placar da partida não resumiu com exatidão a superioridade do time pernambucano no duelo. "Do jeito que você fala parece que o jogo foi totalmente dominado pelo Náutico, que fez os seus últimos dois gols no final do jogo", disse o técnico a um jornalista, que depois concluiu: "Tivemos uma chance no primeiro tempo e outra no segundo e não fizemos os gols, já eles (adversários) se aplicaram e foram mais eficientes nas conclusões".

Após a derrota para o Náutico, o agora vice-líder Inter só voltará a jogar no próximo domingo, quando travará o clássico com o Grêmio, domingo, na casa do arquirrival, pela 11.ª rodada do Brasileirão. No duelo, Dunga espera contar com os retornos do atacante Leandro Damião e do zagueiro Índio, que se recuperam de lesões.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolBrasileirãoInterDunga

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.