Gols perdidos irritam palmeirenses

Excesso de gols perdidos, falta de sorte, erros de arbitragem e a ausência de Vágner Love, que não entrou em campo devido a uma lesão na coxa esquerda. Não faltaram desculpas entre os jogadores do Palmeiras para justificar o empate contra o Paulista neste sábado por 1 a 1, na abertura da fase semifinal do Paulistão. Lúcio era um dos mais indignados.O lateral, que contou com a torcida da mãe e do irmão Clécio nas arquibancadas, não se conformava com a atuação do árbitro Edílson Pereira de Carvalho. Mas também reconheceu que o time deixou a desejar nas conclusões. "Já é muito difícil chegar na área. E quando conseguimos, as marcações erradas do juiz nos prejudicaram demais. Foram pelo menos duas no segundo tempo. A primeira quando recebi uma falta do Lucas em um lance próximo da grande área, e que rendeu ao jogador do Paulista apenas o cartão amarelo. E a outra quando matei a bola no pescoço e foi marcado um toque de mão. Mas não quero ficar aqui reclamando de ninguém, O Palmeiras é suficientemente forte para ganhar as partidas e chegar ao título. Só não podemos errar tanto no momento de colocar a bola dentro do gol."A imagem do desânimo, no entanto, estava estampada no rosto do lateral. "Empatar por 1 a 1 não foi bom, ainda mais porque jogamos no Parque Antártica diante da nossa torcida. O Palmeiras merecia muito mais. Mas não vamos desanimar porque essa é uma decisão de 180 minutos, que terá a parte final no próximo final de semana", comentou o treinador, que espera contar com Love domingo que vem. "Ficará fazendo tratamento intensivo. Tomara que possa contar com ele?.O técnico Jair Picerni também não poupou críticas ao aproveitamento ofensivo do time. "Faltou concentração para fazer os gols. Não me lembro de uma partida semifinal de campeonato que apresentasse um número tão elevado de oportunidades desperdiçadas por um mesmo time. Teve zagueiro do Paulista que tirou a bola até com o umbigo. Mas não quero criticar ninguém individualmente."Na visão do volante Corrêa, o resultado só não foi melhor porque a equipe desperdiçou muitas chances ao longo da partida. "Esse é um defeito que terá que ser corrigido durante a semana. A conclusão a gol tem que melhorar. Perdemos pelo menos quatro chances reais de gols que poderão fazer falta."O jogador, no entanto, reconheceu os méritos do adversário. "Não jogamos contra um time qualquer. Tenho certeza que domingo que vem o Paulista vai oferecer a mesma resistência independentemente do local da partida. Está muito bem armado pelo Zetti."Ira - O goleiro Marcos deixou o gramado irritado, e pouco falou com os jornalistas. Até o meia Júlio Cesar, que neste sábado vestiu pela primeira vez a camisa do Palmeiras, reclamou do excesso de gols perdidos. "Criamos muito e não concluímos. Mas no geral gostei da atuação da equipe."

Agencia Estado,

27 de março de 2004 | 19h22

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.