Gomes e Robinho foram os destaques

Ao contrário do que ocorreu na sexta-feira contra o Paraguai, quando fez jogadas brilhantes e vários atletas se destacaram com lances de impacto, como Maicon, autor de um gol que correu o mundo, o Brasil teve desempenho pífio diante doUruguai. As estrelas se apagaram e ninguém brilhou diante de um adversário que marcou com eficiência. Só dois jogadores conseguiram aparecer bem ? ou um pouco melhor que a média do time. O goleiro Gomes, seguro, e Robinho, que, no entanto, sumiu na segunda etapa. Gomes, camisa 1 do Cruzeiro, ainda não tem a confiança total do público brasileiro. Até porque mostrou falhas durante o Campeonato Brasileiro. Neste domingo, porém, teve atuação impecável. Não errou nenhuma saída de gol e colocou-se muito bemembaixo da meta. Fez duas defesas difíceis no primeiro tempo, num chute de Choy, de dentro da área, e em cabeçada de Vigneri, evitando resultado que poderia ter sido pior. Não teve culpa no gol. Na segunda etapa, não passou de espectador. O meio e o ataque pouco criaram. O santista Robinho foi quem mais levou perigo com boas finalizações. Numa delas, a bola raspou a trave. Em outras duas, o goleiro Hernandez teve de se virar para evitar o gol brasileiro. De tanto insistir, o atacante chegou ao gol, seu terceiro no Pré-Olímpico, e o primeiro que não saiu de cobrança de pênalti. Aproveitou bom cruzamento de Maicon e apenas empurrou, de cabeça, para a meta uruguaia. No tempo final, contudo, Robinho pouco fez. Seu companheiro de Santos Diego, o principal responsável pela armação, fez a pior partida na competição e acabou substituídopor Daniel Carvalho.

Agencia Estado,

11 de janeiro de 2004 | 20h32

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.