Gomes quer Vasco ditando ritmo de jogo contra o Avaí

O empate em 1 a 1 no jogo de ida da semifinal da Copa do Brasil, no Rio, colocou o Vasco em situação delicada na competição. O time carioca precisa pelo menos de um gol na Ressacada e vê o Avaí com a vantagem de jogar por um empate em 0 a 0.

AE, Agência Estado

24 de maio de 2011 | 18h57

Como não sabe se o Avaí vai tentar segurar o placar sem gols ou vai aproveitar o fator casa para buscar ampliar a vantagem, o técnico Ricardo Gomes quer o Vasco apto a qualquer uma dessas situações. "Nós temos que estar preparados para o caso de tentarem jogar com o resultado ou tentarem ir para cima. Precisamos fazer nosso ritmo, ir ao encontro aos nossos interesses. Precisamos inverter esta situação", pede o treinador.

Um dos líderes do time em campo, o meia Diego Souza sabe que para o Vasco chegar na final da Copa do Brasil, precisa balançar a rede pelo menos uma vez. "Vamos fazer um gol fora para empatar tudo isso. Vamos confiantes para a partida", garantiu o meia.

Mas a preocupação vascaína não é apenas ofensiva. Decidindo pela primeira vez fora de casa nesta edição da Copa do Brasil, a equipe reconhece força do Avaí, que já eliminou São Paulo e Botafogo na Ressacada. "O time deles tem um conjunto muito forte. Contudo, não podemos fechar os olhos e sabemos que tudo passa pelo Marquinhos, que cadencia muito bem o jogo deles. Temos de ter cuidados", comentou o goleiro Fernando Prass.

Recuperados de lesões musculares, Rômulo e Anderson Martins voltam ao time e foram confirmados como titulares da equipe, que terá: Fernando Prass; Allan, Dedé, Anderson Martins e Ramon; Rômulo, Eduardo Costa, Felipe e Diego Souza; Eder Luís e Alecsandro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.