Gouvêa critica o Palmeiras por estádio

O presidente Marcelo Portugal Gouvêa fez, neste domingo, duras críticas aos dirigentes do Palmeiras, que utilizaram seu direito de mando para fazer com que o primeiro jogo contra o São Paulo, pelas oitavas-de-final da Copa Libertadores, fosse realizado no Parque Antártica. "Infelizmente ainda tem gente que dirige o futebol com emoção e não com a razão. Demora tanto para que haja um grande jogo, com apelo à torcida, e desprezam esse fator", disse Gouvêa no programa que o São Paulo mantém na rádio Trianon.Ele não acha que o Palmeiras seria prejudicado se os dois jogos fossem realizados no Morumbi. "Todo mundo sabe que nosso estádio não é um alçapão, não serve para intimidar ninguém. Os dois jogos poderiam ser ali, sem nenhum problema."Para a primeira partida, serão colocados apenas 20 mil ingressos à venda. A torcida do São Paulo terá direito apenas a dois mil ingressos, correspondente a 10% do total. "É um absurdo, mas está dentro da lei da Conmebol. Não podemos fazer nada. Só que ninguém pode esquecer de uma coisa: seja qual for o resultado do primeiro jogo, a decisão será no Morumbi. E o Palmeiras terá o mesmo tratamento que nos dispensar no Parque Antártica."No Morumbi, haverá 60 mil ingressos à venda. Os seis mil palmeirenses ficarão no setor amarelo, atrás de um dos gols, metade na arquibancada inferior e a outra metade, na superior.Para o jogo contra o Palmeiras, o São Paulo terá a volta de Lugano - que cumpriu contra o Coritiba a segunda das três partidas em que está suspenso no Brasileiro - e substituirá Alex. Luizão, apesar dos 18 pontos que sofreu no rosto por conta de um choque com Reginaldo Nascimento, tem boas possibilidades de jogar contra o Palmeiras.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.