Governador do Rio garante que Maracanã não será demolido

Porém, o Parque Aquático Júlio Delamare e a Pista de Atletismo Célio de Barros estão ameaçados

Bruno Lousada, do Estadão,

19 de julho de 2007 | 19h59

O Parque Aquático Júlio Delamare e a Pista de Atletismo Célio de Barros, que fazem parte do Complexo Esportivo do Maracanã, podem estar com os dias contados. O Estádio do Maracanã, no entanto, não corre risco de ser demolido. As afirmações são do governador do Rio, Sérgio Cabral, durante encontro nesta quinta-feira à tarde com o presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Ricardo Teixeira, no Palácio Guanabara.Eles receberam executivos da empresa inglesa IMG, responsável pela reconstrução do Estádio de Wembley, e que pretende participar da concessão do Complexo do Maracanã. A licitação vai sair depois que a empresa de consultoria Busalen concluir, em outubro, o estudo de viabilização econômico-financeira do complexo."O Célio de Barros e o Parque Aquático Júlio Delamare perderam significativamente sua importância em função da construção do Engenhão [Estádio João Havelange], que hoje tem um atrativo para o atletismo superior ao Célio de Barros", disse o governador. "O mesmo acontece com o Júlio Delamare em relação ao Parque Aquático Maria Lenk [no Autódromo]", completou Sérgio Cabral."E como as duas instalações não são áreas tombadas, seriam convertidas em novos equipamentos, como estacionamento, shopping center, hotel de três ou quatro estrelas e centro de convenções. A empresa Busalem está estudando isso." Para o governador, não existe a hipótese de o Maracanã ser implodido. "O Maracanã sofreu investimentos importantes nos últimos meses de 2007, a exemplo do Maracanãzinho".Ele vê com bons olhos a privatização do complexo, até mesmo pela possibilidade de a cidade vir a ser um das sedes da Copa do Mundo de 2014. "Assim, resolvemos o problema do estacionamento, que o presidente Ricardo Teixeira já nos alerta desde o início do nosso governo [no início deste ano], e atraímos outros investimentos para o complexo do Maracanã e Maracanãzinho."O governador também se reuniu com representantes da empresa americana AEG, que administra times de beisebol, e da portuguesa Luso Arena. Em pauta, o interesse em administrar o local. "No momento em que o estudo estiver pronto, vamos disponibilizá-lo para o mercado, com as regras estabelecidas pelo governo do Rio, definindo os anos de concessão e quanto de investimento o Estado exige como contrapartida para obter a concessão."MuseuO governador disse que Ricardo Teixeira levará ao presidente da Fifa, Joseph Blatter, o interesse da cidade do Rio de receber o Museu da entidade máxima do futebol mundial. "Quero que o museu seja instalado aqui", declarou Sérgio Cabral, que ergueu a taça de campeão da Copa América da Venezuela, conquistada no domingo pela seleção. Ele confirmou que o jogo entre Brasil e Equador, válido pelas Eliminatórias da Copa do Mundo de 2010, será disputado no Maracanã, no dia 17 de outubro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.