Governo brasileiro condena ato racista

O governo brasileiro, através do ministro do Esporte, Agnelo Queiroz, e da secretária especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial Presidência da República, ministra Matilde Ribeiro, também condenou as ofensas racistas do jogador argentino Desábato, do Quilmes, ao brasileiro Grafite, do São Paulo.Em nota oficial, o governo brasileiro promete acionar as esferas da administração esportiva nacional e internacional para tentar acabar com o racismo no esporte.Leia a íntegra da nota oficial divulgada pelo governo brasileiro:?O grave incidente ocorrido ontem entre o zagueiro argentino Leandro Desábato e o atacante brasileiro Edinaldo Batista Libânio, o Grafite, que resultou na prisão do jogador argentino por crime de injúria qualificada com agravante de racismo é mais um passo na escalada de preconceito e discriminação que vem tomando os estádios de futebol no mundo, com as manifestações de torcidas e de atletas contra jogadores afrodescendentes, inclusive brasileiros. O ministro do Esporte, Agnelo Queiroz, e a secretária especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial da Presidência da República, ministra Matilde Ribeiro, repudiam qualquer manifestação de preconceito, discriminação e xenofobia no esporte nacional e internacional. A atitude racista do jogador argentino vai contra todos os valores de igualdade, respeito e união que o esporte promove. Neste 2005, Ano Nacional de Promoção da Igualdade Racial, o tema é de relevante importância nos trabalhos da Comissão "Paz no Esporte", lançada em março para acabar com todo o tipo de violência nesta área. O Governo Federal acionará as esferas da administração esportiva nacional e internacional para que adotem medidas concretas para banir definitivamente do espetáculo esportivo a discriminação racial, o preconceito e a xenofobia, que, se não eliminados, representam ameaça à democracia.?

Agencia Estado,

14 de abril de 2005 | 18h15

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.