Divulgação
Divulgação

Governo do Rio nega vai fazer novas obras no Maracanã para a Olimpíada

Entidade garante que reforma para a Copa do Mundo também será válida para Jogos

Agência Estado,

08 de abril de 2013 | 15h33

RIO - O governo do Rio divulgou nota oficial no começo da tarde desta segunda-feira negando a possibilidade de o estádio do Maracanã, que está em fase final de obras para a Copa das Confederações, precisar ser novamente fechado para passar por reformas antes dos Jogos Olímpicos do Rio/2016.

A possibilidade foi aventada por reportagem da ESPN Brasil, que indica que o Comitê Olímpico Internacional (COI) vinha cobrando o governo do Rio quanto a alguns pontos da reforma do Maracanã, não atendendo exigências para a Cerimônia de Abertura da Olimpíada.

"O estádio do Maracanã não será fechado para novas obras após a conclusão das que ocorrem atualmente e que deixarão o estádio pronto para receber a Copa do Mundo, em 2014, e os Jogos Olímpicos, em 2016", diz o texto assinado pelo governo do Rio.

A reportagem da ESPN Brasil mostrou ofícios assinados por Leonardo Gryner, diretor de operações do Comitê Rio/2016, que destacava, entre outros problemas, que a cobertura do Maracanã suporta 81 toneladas. A exigência é para 120 toneladas, para sustentar equipamentos de som, luz e fogos de artifício. O túnel de entrada no estádio também precisaria ser maior para a festa de abertura.

"O governo do Estado mantém contato constante com o Comitê Rio/2016 e há entendimento entre tais autoridades para a preparação adequada para a realização dos Jogos Olímpicos. É preciso deixar claro que as exigências e padrões internacionais são observados nas intervenções. Há, porém, solicitações que, naturalmente, sempre são negociadas entre as partes de forma harmônica", completa a nota.

O governo fluminense lembra que o estádio do Maracanã ficará pronto para o amistoso entre Brasil e Inglaterra, dia 2 de junho. Obras externas, que ficarão a cargo da empresa que ganhar a concessão do estádio, ainda serão realizadas depois da Copa das Confederações.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.