Felipe Rau/Estadão
Felipe Rau/Estadão

Governo Doria diz sofrer 'pressão enorme', mas mantém proibição de jogos do Paulistão

Centro de Contingência do Estado afirma que não pretende relaxar restrições impostas à disputa de partidas

Redação, O Estado de S.Paulo

24 de março de 2021 | 14h16

No que depender do governo de São Paulo, os torneios de futebol não devem voltar a ser disputados facilmente no Estado durante esta etapa mais aguda da pandemia da covid-19. Nesta quarta-feira, o coordenador do Centro de Contingência da Covid-19 em São Paulo, Paulo Menezes, afirmou que a gestão do governador João Doria (PSDB) mantém a posição de não liberar a realização de partidas, apesar do posicionamento contrário vindo da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e da Federação Paulista de Futebol (FPF).

"Temos acompanhado a pressão enorme que as federações têm feito para que não se interrompam os jogos de futebol. O posicionamento do Centro de Contingência é claro. Nesse momento é preciso suspender todo o tipo de atividade coletiva", disse Menezes durante entrevista coletiva no Palácio dos Bandeirantes. Por decisão do governo, os jogos do Campeonato Paulista estão proibidos em São Paulo desde o dia 15 de março. O veto vale até o dia 30 deste mês.

Diante dessa restrição, a FPF tentou negociar um afrouxamento da regra e, como medida mais recente, levou duas partidas do Estadual para a cidade de Volta Redonda (RJ). Para convencer a prefeitura da cidade, a entidade até mesmo doou respiradores. A FPF chegou a marcar uma partida entre Ponte Preta e Santos no Rio, em São Januário. O jogo foi cancelado por uma proibição da prefeitura local.

A CBF também tem se manifestado favorável à continuação do calendário e fará de tudo para cumprir seu calendário. As partidas da Copa do Brasil estão marcadas, inclusive com mandos transferidos para outros Estados. Um exemplo disso ocorre na cidade de Mesquita (RJ). O município receberá nos próximos dias dois jogos pelo torneio nacional: Ypiranga (AP) contra Santa Cruz (PE) e também a partida entre Goianésia (GO) e CRB-AL.

Menezes afirma que a decisão de momento do governo de São Paulo é de não relaxar as restrições ao futebol. "Mantemos a posição do Centro de Contingência de não haver nenhum tipo de atividade coletiva, como os jogos do Campeonato Paulista", disse. Apesar disso, os times estão liberados para treinos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.