Governo estadual anuncia nova gestão do Mineirão

O governo de Minas optou por um sistema de gestão compartilhada do Mineirão com a iniciativa privada, visando a Copa do Mundo de 2014. Conforme o governo mineiro, caberá ao parceiro privado a realização dos investimentos e execução da terceira etapa de obras de modernização do estádio, orçadas em R$ 607,8 milhões.

EDUARDO KATTAH, Agência Estado

23 de abril de 2010 | 15h39

Após a reforma - cuja conclusão está prevista para o fim de 2012 -, a empresa vencedora terá direito à operacionalização e manutenção do estádio por 25 anos, numa gestão que contará com a participação dos três clubes da capital: América, Atlético e Cruzeiro, sob monitoramento do Estado.

Atualmente, o Mineirão é gerido pela Ademg, uma autarquia estadual. A renda com a bilheteria e a exploração dos estacionamentos ficará com os clubes. O parceiro privado irá receber um valor anual do Estado durante a concessão e terá direito às receitas comerciais. O governo promete criar indicadores de qualidade de prestação de serviços que serão exigidos da empresa vencedora do processo de licitação. O edital deverá ser publicado em junho.

Com as duas primeiras etapas e os projetos executivos, o governo irá desembolsar um total de R$ 28,6 milhões. Do custo estimado para a conclusão da terceira etapa, o parceiro privado poderá contar com a uma linha de crédito de até R$ 400 milhões, disponibilizada pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

O governo mineiro já havia feito o pedido de financiamento, mas enfrentava dificuldades porque só poderia captar os recursos caso eles fossem repassados em uma condição "extra-limite" - sem que sejam contabilizados no cálculo do limite de endividamento dos estados nas negociações de outros empréstimos, como prevê a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF). Conforme a situação atual, o Estado só pode tomar emprestado menos da metade deste montante, cerca de R$ 190 milhões.

Com o novo sistema de gestão, o governo de Minas espera agilizar a modernização do estádio, cumprindo à risca os parâmetros e o cronograma estabelecidos pela Fifa, para reivindicar a chance de receber o jogo de abertura do Mundial. e outra partidas importantes. Para isso, o governo procura

O projeto arquitetônico com as novas adequações prevê que o Mineirão tenha capacidade para 69.950 espectadores e mais 44 camarotes. As estruturas serão reforçadas e será instalada uma cobertura para diminuir a incidência de luz solar no gramado, que será rebaixado em 3,5 metros. Os vestiários serão remodelados e os estacionamentos ampliados, passando a oferecer 4.180 vagas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.