Governo inglês proíbe ida de 3.200 hooligans ao Mundial

O governo inglês vai tomar novas providências para evitar que cerca de 3.200 hooligans, apelido dado aos torcedores considerados de alto grau de periculosidade, viajem para a África do Sul para acompanhar a seleção da Inglaterra na Copa do Mundo.

AE-AP, Agencia Estado

26 de janeiro de 2010 | 11h00

Os torcedores problemáticos terão de entregar os seus passaportes para a polícia antes das partidas e ficarão sem eles durante o período da realização da competição, para que não possam viajar até o palco do Mundial.

Segundo informações do governo inglês, o número de prisões feitas pela polícia em jogos de futebol na Inglaterra caiu 2% na última temporada. Cerca de metade das 3.752 detenções informadas aconteceu por atos de desordem e cerca de um terço delas foi realizada por causa de delitos relacionados ao uso de álcool. Venda ilegal de ingressos e violência também estão dentro da lista de motivos para as prisões.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.