Governo inglês quer rever regras para compra de clubes

Com sete clubes da Premier League (Campeonato Inglês de futebol) nas mãos de proprietários estrangeiros, o governo inglês pediu à Associação de Futebol da Inglaterra (FA - sigla em inglês), nesta quinta-feira, uma regulação mais rígida para a compra de clubes.O secretário de Cultura do governo, Andy Burnham, disse que a FA deve se assegurar que os futuros compradores tenham o interesse dos clubes no coração."Isso não é um ataque à propriedade estrangeira. Não importa qual a sua nacionalidade. O que importa são suas intenções com o clube que procura assumir", afirmou o secretário. Burnham também disse que não é contra quem enriquece com o futebol. "Não é errado que as pessoas ganhem dinheiro com o futebol, mas deve ser feito de tal forma que se promova os interesses do jogo", defendeu.Na primeira divisão do futebol inglês, Chelsea, Manchester United, Liverpool, Aston Villa, Portsmouth, Manchester City e Fulham são de proprietários estrangeiros. Para Burnham, se a situação continuar como está, o futebol na Inglaterra poderá perder público. "Se o futebol seguir esse caminho nos próximo dez anos, há um risco real que o jogo perca apoio entre os torcedores". Burnham completou se perguntando se já não é tarde demais para uma mudança de atitude. "Nós precisamos perguntar urgentemente o quê nós queremos para o futuro do jogo, antes que algo precioso seja perdido".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.