Alex Silva/Estadão
Alex Silva/Estadão

Governo libera times do Paulistão para fazerem testes físicos a partir de segunda

Federação Paulista de Futebol revela autorização para equipes iniciarem baterias de exames antes do retorno aos treinos

Redação, O Estado de S.Paulo

19 de junho de 2020 | 15h38

A Federação Paulista de Futebol (FPF) revelou nesta sexta-feira que recebeu a autorização do governo de São Paulo para que os times do Campeonato Paulista iniciem na próxima segunda-feira os testes clínicos, físicos e fisiológicos individualizados para a volta das competições após a paralisação causada pela pandemia do novo coronavírus. O període de 22 até 30 de junho servirá como uma readaptação para o retorno aos treinos, autorizados para terem início em 1º de julho.

A liberação se deu após a FPF enviar ao governo uma versão atualizada do Protocolo de Retomada Gradual aos Treinos do Campeonato Paulista. O material trata justamente da necessidade de se ter um cuidado prévio com os atletas após os mais de 90 dias de inatividade. Essa etapa servirá justamente para a realização de uma série de exames para atestar que os jogadores estão aptos fisicamente para voltarem a treinar.

O protocolo de cuidados prevê que todos os jogadores deverão ser submetidos a testes para detecção do novo coronavírus, os ambientes dos centros de treinamentos terão de ser preparados e higienizados e todos deverão utilizar equipamentos de segurança, como luvas e máscaras. Apesar do cronograma de retorno das atividades, ainda não há data para o Campeonato Paulista ser retomado.

A FPF disse em nota que recebeu a liberação com "grande satisfação". Alguns dias atrás, porém, a entidade manifestou "estranheza" com a posição do governador paulista João Doria de somente autorizar a volta aos treinos a partir de 1º de julho. A expectativa é que o aval fosse para aplicação imediata.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.