Governo pagará arquibancada temporária, diz Corinthians

O Corinthians afirmou, por meio de nota oficial nesta quarta-feira, que o Governo do Estado manterá o acordo de pagar pelas arquibancadas temporárias para adequar o Itaquerão às exigências da Fifa e sediar a abertura da Copa do Mundo de 2014.

AE, Agência Estado

26 de setembro de 2012 | 18h02

O clube, no entanto, diz que está aberto à soluções alternativas, como uma parceira do Governo com o setor privado para bancar a ampliação do estádio. O custo da obra gira em torno de R$ 70 milhões - a arena está orçada em R$ 820 milhões.

As arquibancadas móveis são necessárias para ampliar a capacidade do estádio de 48 mil para 68 mil lugares, capacidade exigida pela Fifa para realizar a abertura do Mundial. O Corinthians mantém a postura de não pagar por esse custo adicional.

Confira a íntegra da nota oficial:

A direção do Sport Club Corinthians Paulista vem a público afirmar ter certeza de que o Governo do Estado manterá seu compromisso de prover as arquibancadas temporárias para a adequação da Arena Corinthians às necessidades da Fifa, para que lá se realize a abertura da Copa.

Caso a solução definida pelo Governo seja a de buscar apoio no setor privado para as despesas correspondentes, o Corinthians estará empenhado em apoiar a iniciativa, colaborando para fazer do empreendimento uma oportunidade atraente de exposição de marcas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.