Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Governo quer Disque-Denúncia específico para organizadas

Grupo interministerial de trabalho também propõe cadastro com nomes de todos os membros de torcidas organizadas no Brasil

DANIEL CARVALHO, Estadão Conteúdo

12 de fevereiro de 2015 | 17h21

O governo federal vai montar um grupo de trabalho envolvendo os Ministérios do Esporte e da Justiça para discutir com torcidas organizadas e clubes medidas para evitar atos de violência nos estádios de futebol. O ministro George Hilton (Esporte) disse nesta quinta-feira que entre as ideias que o grupo interministerial discutirá estão a criação de um cadastro nacional de membros de torcida organizada e um Disque-Denúncia específico para denunciar crimes cometidos por estes torcedores.

"Torcidas organizadas são uma manifestação cultural. Elas precisam continuar. São manifestações importantes, mas precisam ser protegidas destes maus elementos", disse Hilton, após reunir-se com representantes da Associação Nacional de Torcidas Organizadas (Anatorg), criada no final do ano passado. Uma campanha publicitária cujo mote é "Um grito de paz" também deve ser veiculada em todo o País.

O ministro, que na próxima semana vai se reunir com seu colega do Ministério da Justiça, José Eduardo Cardozo, e com representantes do clubes, defendeu que o grupo também discuta alterações na legislação para tornar a punição aos baderneiros mais rigorosa. "Você tem que recrudescer a legislação. Tem que ter mais rigor e esses indivíduos têm que ser tratados como delinquentes", afirmou Hilton.

George Hilton se disse contrário à torcida única em jogos de futebol e afirmou acreditar na parceria dos clubes. "Os clubes perceberam que estão perdendo público. Precisamos trazer as famílias de volta (aos estádios)", pontuou.

Os representantes da associação que reúne as 127 maiores torcidas organizadas do País - o total é de 435 torcidas de vários tamanhos - se mostraram satisfeitos com as propostas apresentadas e se disseram favoráveis à punição individual dos agressores. "Futebol é uma extensão do que está acontecendo na rua. A gente está aqui para colaborar", disse André Azevedo, presidente da associação.

No próximo dia 24, a Anatorg promoverá em São Paulo um encontro entre as torcidas de Vasco e Atlético Paranaense, que entraram em confronto em Joinville (SC) em dezembro de 2013.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.