Governo vai patrocinar dupla Gre-Nal

O governo Olívio Dutra (PT), por meio do Banco do Estado do Rio Grande do Sul (Banrisul), vai patrocinar os dois maiores clubes do futebol gaúcho, o Grêmio e o Internacional. O contrato com a dupla Grenal será assinado nesta terça-feira, em cerimônia no Palácio Piratini (sede do governo do RS), e prevê a anulação de R$ 2,5 milhões das dívidas históricas dos dois clubes com o banco no próximo ano e meio, podendo ser prorrogado por mais 18 meses. O anúncio se soma a uma série de outras medidas que Olívio têm divulgado nas últimas duas semanas para melhorar seus índices de popularidade, mas segundo dirigentes do banco se justifica pelo lado financeiro também. A dupla Grenal deve cerca de R$ 4 milhões cada para o Banrisul e vinha rolando esses débitos há anos, pois enfrentava dificuldades para quitá-los. Com a negociação do patrocínio, o banco não só vai ter sua imagem divulgada entre as duas maiores torcidas do Estado como garante a liquidação de uma dívida que remonta a década de 80. Recentemente o Grêmio obteve um financiamento para restabelecer os pagamentos de seus débitos. Agora vai poder usar os recursos do patrocínio (cerca de R$ 1,25 milhões) para saldar parte de sua dívida. A renovação do contrato fica para o próximo governo.Em troca dos valores do patrocínio, o Banrisul vai poder estampar seu slogan na camisa dos dois times, terá direito a desenvolver produtos com o nome da dupla Grenal, como cartões de crédito, e ainda assumirá a conta da folha de pagamento dos clubes, num total de quase R$ 2 milhões por mês. Atualmente o Grêmio e o Inter pagam seus profissionais pelo Banco Santander Meridional.O patrocínio estatal ganha uma simbologia adicional frente ao fato de que até o final do ano passado a camisa da dupla Grenal era patrocinada pela General Motors. O governo gaúcho enfrentou em 1999 uma intensa polêmica por causa das renegociação dos contratos com as montadoras de automóveis ( a GM aceitou, e a Ford decidiu ir para a Bahia), e agora substitui uma delas na parceria com os times de futebol.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.