Juan Mabromata/AFP
Juan Mabromata/AFP

'Graças à Argentina o futebol é o que é', diz presidente da Fifa

Gianni Infantino rasga elogios ao futebol portenho em anúncio de candidatura tripla à Copa do Mundo de 2030

Estadão Conteúdo

04 Outubro 2017 | 17h38

Argentina, Paraguai e Uruguai oficializaram nesta quarta-feira, 4, a candidatura em conjunto para sediar a Copa do Mundo de 2030, mas um destes países recebeu elogios especiais do presidente da Fifa, Gianni Infantino. Em evento na Casa Rosada, sede do governo nacional, o dirigente se derreteu em elogios aos argentinos e sua importância para o futebol mundial.

+ Argentina, Paraguai e Uruguai oficializam candidatura para sediar Copa de 2030

+ Seleção deixa a Granja Comary e fará viagem em etapas até La Paz

"Estou emocionado de estar em um país e em uma cidade que escreveram muitas das páginas mais emocionantes da história do futebol. Graças à Argentina o futebol é o que é. Infelizmente, nos últimos anos o país esteve um pouco mal, como a Fifa e outras federações do mundo", comentou Infantino.

O dirigente lamentou as crises políticas que tomaram conta do futebol argentino nos últimos anos, mas apostou na recuperação do país na modalidade. "Em um país assim, há força, paixão e coração para começar a trabalhar outra vez seriamente, a trabalhar para o desenvolvimento do futebol, porque é assim que tem que ser."

Para Infantino, aliás, a possível realização da Copa na Argentina - além de Uruguai e Paraguai - pode ajudar o país a superar esta crise política no futebol. O dirigente projetou que sediar o Mundial deverá fazer os argentinos recuperarem o orgulho que têm pela seleção nacional.

"São a Argentina e têm que estar orgulhosos de serem. Não só aqui, como em toda a América do Sul e no mundo. A AFA (Associação do Futebol Argentino) pode fazer muito. Não só pode, como deve fazer muito pelo futebol mundial, porque a Argentina tem que ser um exemplo, com os jogadores que estão em campo, com os clubes, com seus torcedores. A nova Fifa e a nova Conmebol precisam de uma AFA forte, com gente que queira trabalhar pelo esporte", considerou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.