Grafite admite que houve negligência

Grafite acredita que ele e o São Paulo erraram na avaliação sobre a contusão que sofreu no joelho direito, dia 8 de maio, no jogo contra o Palmeiras, pela Libertadores."Eu e o clube tivemos uma dose de negligência. Se a gente tivesse feito o exame de ressonância magnética, os problemas no meu joelho teriam aparecido e eu não participaria dos outros jogos", disse Grafite, neste domingo, em sua primeira entrevista após a operação dos ligamentos cruzados que devem afastá-lo do futebol por seis meses.O atacante revelou que, em vez de ressonância magnética, fez tratamento médico e voltou a enfrentar o Palmeiras no dia 15 de maio, ainda sentindo dores. "Agüentei 75 minutos. Continuei fazendo tratamento e entrei contra o Tigres, sem dores. Só que com 30 minutos já não agüentava. Precisei sair", explicou.Só então foi feita a ressonância, que apontou a necessidade de operação por conta do ligamento colateral. Durante a operação, foi constado o mau estado do ligamento cruzado."Aí, fizemos as duas operações juntas. Eu entrei na sala às 13 horas e só acordei seis horas depois. Achei estranho. Aí, minha mulher contou que havia sido necessário mexer nos ligamentos cruzados. Fiquei muito triste, mas já estou me recuperando", afirmou Grafite.Ele fez fisioterapia sábado, domingo e nesta segunda-feira começa a trabalhar em dois períodos. "Estou animado. Vou voltar antes de cinco meses. Minha intenção é jogar no Mundial Interclubes, em dezembro, no Japão. Vou ajudar o São Paulo a ser campeão. E também não desisti da Copa. É difícil, mas vou brigar", avisou Grafite.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.