Grafite é vítima de racismo novamente

A polêmica sobre o racismo no futebol ganhou mais um capítulo na noite de quarta-feira, durante o amistoso entre Brasil e Guatemala. Uma banana foi atirada no gramado do estádio do Pacaembu, em São Paulo, com os dizeres ?Grafite macacô!?, citando o atacante do São Paulo e da seleção, pivô da confusão envolvendo também o argentino Desábato.No jogo entre São Paulo e Quilmes, no dia 13 de abril, no Morumbi, Grafite acusou Desábato de ter lhe feito ofensas raciais. O jogador argentino foi detido ainda dentro do estádio e passou quase 40 horas preso em São Paulo. Liberado após pagar fiança de R$ 10 mil, ele irá responder a processo por injúria com agravante racial.Grafite também foi vítima de outros insultos racistas por causa desse episódio com Desábato. Revoltada com a situação de seu jogador, preso no Brasil, a torcida do Quilmes chegou a levar faixas no estádio em Buenos Aires chamando o atacante do São Paulo de macaco.Mas, desta vez, o racismo partiu, muito provavelmente, de um torcedor brasileiro. Mais de 36 mil pessoas estiveram no Pacaembu para acompanhar o amistoso da seleção, em que Grafite foi um dos destaques, marcando o terceiro gol da vitória por 3 a 0 sobre a Guatemala.Em entrevista à Rádio CBN, Grafite revelou que não viu a banana atirada no gramado do Pacaembu e só ficou sabendo do caso nesta quinta-feira mesmo. ?A partir do momento em que ocorreu aquilo (o episódio com Desábato), sabia que este tipo de manifestação podia se repetir?, afirmou o atacante, que entrou justamente no lugar de Romário, o grande homenageado da noite - o jogo com a Guatemala marcou sua despedida da seleção. ?É uma pena que isso tenha ocorrido aqui (no Brasil).?Veja outras notícias relacionadas ao caso Grafite/Desábato: Desábato: "Não disse nada de racismo" Torcida do Quilmes reforça o racismo Desábato não fala. Colegas criticam Desábato embarca de volta para Argentina Passarella: Desábato não é delinqüente Juristas divergem sobre caso Desábato Leão não teme represálias na Argentina Parreira teme represália dos argentinos Quilmes reclama de tratamento recebido Argentino é solto depois de quase 40h Quilmes promete pedir indenização Argentino paga fiança e deve ser solto Desábato toma chimarrão na prisão Jogador deve ser libertado à tarde Desábato passará a noite no 13º DP São Paulo com receio de jogar na Argentina Grafite perdoa, mas mantém processo Grondona considera prisão um "exagero" Teixeira e Parreira repudiam racismo Embaixador quer desculpas de Desábato Câmara convida Grafite a debater o racismo Quilmes: delegação passou dia no hotel Desábato é um ilustre desconhecido Governo brasileiro condena ato racista Ibase encaminhará mensagens à Fifa Desábato é transferido de delegacia Alckmin condena racismo de Desábato Argentino é suspenso preventivamente Nicolás Leoz visita jogador argentino Grafite conseguiu o que queria?, diz Olé Quilmes acusa São Paulo de montar farsa Conmebol também investiga Desábato Enquete em jornal argentino vê racismo ?Atleta não demonstrou arrependimento? Delegação do Quilmes está retida em SP Jogador argentino está incomunicável Advogados tentam livrar jogador Desábato preso por racismo no Morumbi São Paulo vence Quilmes e lidera Grupo 3

Agencia Estado,

28 de abril de 2005 | 14h05

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.