Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Grafite: Figueirense foi mais coração

O atacante Grafite resumiu em uma frase o tropeço do São Paulo que resultou ainda mais no seu distanciamento dos líderes do Campeonato Brasileiro. "O Figueirense foi mais coração, teve mais vontade e fez por merecer a vitória". O time do técnico Leão, que foi expulso da área técnica aos cinco minutos do segundo tempo por reclamar de uma falta não anotada pelo árbitro Luciano Almeida reconheceu o ímpeto da equipe que resultou na vitória catarinense, porém não deixou de lado seu lado polêmico ao analisar as circunstâncias da partida e a atuação do árbitro: "Foi um jogo que pereceu um jogo de rua, sem muita técnica e esquema e arbitrado por um juiz de várzea", desabafou. Leão ainda lamentou a falta de definição por parte de seu time comparando-o com atuações anteriores. "Faltou criação e não tivemos uma atuação digna de vitória", finalizou, acrescentando ainda as dificuldades que seu time teve para criar por conta das condições do gramado do estádio Orlando Scarpelli, que está em processo de reformulação. "Infelizmente não deu e nos resta vencer em casa", acrescentou o lateral Cicinho, destacando o compromisso tricolor na próxima quarta-feira, no Morumbi, quando o time vai cumprir os últimos 31 minutos do inacabado jogo da última quarta-feira, marcado pela trágica morte do zagueiro Serginho, do São Caetano. No caminho para os vestiários, o volante Ale reconheceu as dificuldades que o São Paulo teve para superar o Figueirense, dada a forte marcação que sofreu, principalmente em seus alas. "O campo dificultou muito a nossa parte técnica, está muito duro. O Figueirense fez o gol e soube se segurar bem lá atrás" analisou. Do lado do Figueirense, o grande destaque da partida, o lateral-esquerdo André Santos, 20 anos, definiu a vitória alvinegra ao espírito coletivo do grupo a cada instante da partida. "Valeu a garra e a determinação de todos", comentou. Já o técnico Dorival Júnior também fez questão de enfatizar a disposição decidida por cada jogador ao longo de toda a partida. Quando os jogadores assimilarem a forma de jogar como a que foi desenvolvida hoje, certamente que a história do Figueirense será outra. Percebi muita responsabilidade de todos", analisou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.