Grafite: tem gente de olho no atacante

Os jogadores do São Paulo começam a despertar interesse de pessoas dispostas a mediar transações com clubes do Exterior. Nesta segunda-feira, no desembarque da delegação no Aeroporto de Cumbica, em Guarulhos (SP), um homem bem vestido, que preferiu não se identificar para a reportagem da Agência Estado, pediu autorização ao superintendente do Tricolor, Marco Aurélio Cunha, para poder oferecer o atacante Grafite no mercado estrangeiro. A resposta foi curta e grossa: "O São Paulo não autoriza nenhum representante, seja ele quem for, a negociar os atletas do clube em seu nome, sobretudo fora do Brasil", disse Marco Aurélio. Insistente, o ?procurador? disse que iria encontrar outros caminhos para tentar fazer seu negócio. "As pessoas que me mandaram aqui não me autorizaram a dizer nada sobre a possível transação", comentou, pedindo desculpas. Marco Aurélio não levou a oferta muito à sério. Disse que esse tipo de abordagem começa a se tornar freqüente no futebol nacional.Sobre o time, o técnico Emerson Leão acha que o Atlético-PR está perto do título, mas não quer que seus jogadores joguem a toalha. "A próxima rodada será decisiva. Se o Atlético-PR vencer seu compromisso, o São Paulo não terá mais chances de alcançá-lo, mesmo se também ganhar. Aí a briga ficará somente com o Santos, caso a equipe da Vila Belmiro vença o São Caetano."Leão está contente com a reação do time no Brasileirão, mas não satisfeito. Segundo ele, o sentimento de dever cumprido só viria caso o time ficasse com o título. Ele ainda acredita na possibilidade. "Só a rodada do fim de semana dirá se o São Paulo brigará pelo título até o fim. Temos de esperar. O treinador aproveitou para ironizar dois casos nesta segunda-feira. O primeiro deles, o afastamento de Júnior. "Faz tanto tempo que tomei essa decisão que nem me lembro mais", disse, ao ser perguntado se teria optado apenas sábado em deixar o atleta fora da partida. O outro caso: os gols de pênalti do Atlético-PR. "O nosso amigo artilheiro marcou outro de pênalti. O São Paulo, desde que cheguei, não sofreu sequer um pênalti." O Tricolor pega o Flamengo, em casa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.