Grafite voltará das férias? Depende...

O atacante Grafite entra de férias na próxima segunda-feira, um dia após o jogo contra o Goiás, em Goiânia (GO), na última rodada do Campeonato Brasileiro. Seus planos são simples: vai para Recife e só quer saber de praia e descanso nos seus 20 dias de férias. Depois disso, tudo é uma incógnita. "Hoje o que eu sei é que devo me reapresentar dia 10 de janeiro no São Paulo. Até lá, muita coisa pode acontecer...", disse o jogador, em tom de mistério.No meio do ano, Grafite contou que houve interesse da Fiorentina pelo seu futebol. Hoje, depois de um bom desempenho no Campeonato Brasileiro, o atacante sabe que foi um dos são-paulinos que mais se valorizaram na temporada. A Lazio, da Itália, seria um dos times que estariam interessados em seu futebol. "Tenho contrato com o São Paulo até 2006, mas se aparecer uma proposta que for boa para mim e para o clube, posso realizar o sonho de jogar na Europa."Chegar no meio da temporada européia não o assusta. "Ano passado, fui jogar no Goiás já no meio do Campeonato Brasileiro. Mesmo assim, fiz um bom campeonato e o São Paulo acabou me contratando. O importante é continuar trabalhando em busca de mais espaço no futebol", comentou.O São Paulo não deve segurar ninguém. O próprio supervisor do clube, Marco Aurélio Cunha, afirmou que basta aparecer uma boa proposta para sair negócio. "O São Paulo não é um clube vendedor, mas vende quando aparece um bom negócio", e completou: "Todo dia liga algum empresário perguntando sobre a situação do Grafite. A todos, respondo que se aparecer uma proposta de um clube nós analisaremos."Foi, realmente, um bom 2004 para Grafite. Nunca, em sua carreira, marcou tantos gols em um ano. Foram 27 (sendo 17 no Campeonato Brasileiro). "Em 2001, eu fiz 24, mas joguei no Santa Cruz, na Matonense e na Ferroviária. Este ano foi a primeira vez que joguei em um único time, o que ajudou meu desempenho."Após a saída do artilheiro Luís Fabiano para o Porto, Grafite contou que sua responsabilidade aumentou muito. "Eu percebi que a torcida esperava mais de mim. Assumi a camisa 9 e comecei a fazer os gols. Com o técnico Leão ganhei mais liberdade para jogar. Tudo deu certo."Contra o Goiás, domingo, no Estádio Serra Dourada, Grafite tem duas motivações: a primeira é rever Goiânia, cidade onde morou o ano passado, quando defendeu o Goiás no Campeonato Brasileiro de 2003. E a segunda, a de atingir a marca de nada menos que 30 gols na temporada. Faltam três. "Eu sei que fazer três gols em uma única partida é difícil, mas não custa nada sonhar", comentou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.