Márcio Fernandes/Estadão
Márcio Fernandes/Estadão

Gramado sintético e viagem para Tijuana causam preocupação no Palmeiras

Confronto com time mexicano deverá levar Gilson Kleina a usar um time reserva no Paulista

DANIEL BATISTA, O Estado de S. Paulo

20 de abril de 2013 | 08h12

SÃO PAULO - A primeira colocação do Grupo 2 da Libertadores colocou o Palmeiras em uma situação curiosa – e desconfortável. Além do time do Tijuana, os comandados de Gilson Kleina terão de encarar uma longa viagem – que poderá prejudicar a equipe nas quartas de final do Campeonato Paulista – e ainda terá de jogar em um campo sintético de péssima qualidade no México.

O Corinthians, adversário do Tijuana na fase de grupos, sofreu com isso e pagou caro. Após 17 horas de viagem, o time alvinegro não conseguiu se adaptar ao gramado e perdeu por 1 a 0. Para evitar isso, o Palmeiras pretende realizar alguns treinamentos em campos com piso sintético – o objetivo é que os atletas não sofram tanto com a diferença da grama natural para a artificial.

O fato de ganhar uma semana de folga na Libertadores, já que a primeira partida contra os mexicanos foi marcada para o dia 30, apenas adiou o problema. O Palmeiras jogará amanhã contra o Ituano, em Itu, depois folgará a semana toda e voltará a campo no dia 27 ou no dia 28 para jogar as quartas do Estadual. No dia 30, terá de enfrentar o Tijuana.

Por isso, Kleina pensa em dividir o elenco do Palmeiras em dois no início da semana que vem. Uma parte ficará concentrada apenas na partida da Libertadores, fará treinamentos em campos sintéticos e deverá viajar no fim da semana para Tijuana. A outra será preparada para jogar pelo Paulista. Nessa equipe, a estrela será o atacante Leandro, artilheiro do time na temporada, que não pode defender o Palmeiras na Libertadores.

Kleina decidirá hoje se escalará reservas ou um time misto contra o Ituano. Valdivia, por exemplo, tem chances de estar em campo. O único objetivo da equipe alviverde é evitar um confronto com um grande rival nas quartas. Há risco de enfrentar Santos ou Corinthians.

TEMPO PARA CONTRATAR

O time alviverde tem boas chances de contar com reforços na primeira partida contra o Tijuana. Um dos motivos que fizeram o Palmeiras lutar tanto para adiar o jogo contra os mexicanos – que inicialmente seria na quinta-feira – é conseguir ter um tempo maior para ir atrás de novos jogadores.

O certo até o momento é que, das três trocas permitidas na Libertadores, André Luiz estará em uma delas. Ele deverá entrar no lugar de Marcos Vinícius ou no de Leandro Amaro. Rondinelly e Fernandinho podem completar a lista, mas a diretoria tenta preencher as duas vagas restantes com reforços e a prioridade é o ataque. Rafael Moura, do Internacional, chegou a ser consultado, mas o técnico Dunga não quis liberá-lo.

Tudo o que sabemos sobre:
FutebolPalmeirasLibertadoresTijuana

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.