Grandes clubes de São Paulo disputam artilheiro do Paulistão

Atacante Otacílio Neto, destaque do Noroeste, acumula propostas de 15 equipes do Brasil e do exterior

André Rigue, estadao.com.br

25 de fevereiro de 2008 | 13h15

Artilheiro do Campeonato Paulista com 10 gols, o atacante Otacílio Neto não continuará no Noroeste ao final da competição. O jogador já foi sondado, segundo os dirigentes da equipe, por 15 clubes. Dentre os interessados estão os grandes da capital paulista: Palmeiras, Corinthians e São Paulo. De acordo com o diretor Fernando Garcia, filho do presidente Damião, Otacílio trouxe uma grande contribuição ao Noroeste e deve, após o Paulistão, fazer sua independência financeira. "Neste momento estamos concentrados na campanha [o time é o sexto colocado], mas no final eu vou vendê-lo. Recebemos pelo menos 15 propostas", diz ao estadao.com.br. Fernando não aceitará emprestar o atleta. O clube que quiser levar o jogador terá de comprá-lo. "Os direitos econômicos do Otacílio pertencem à minha empresa até 2011", explica Fernando. "Mas vamos analisar as propostas com calma. Não estamos ansiosos para concretizar a venda." Ao final do jogo contra o São Paulo, no domingo, Otacílio disse à Rádio Eldorado/ESPN que tem interesse em atuar num grande clube da capital. "Com certeza", afirma o jogador. "Já houve sondagens das equipe de São Paulo, teve também uma do Japão. Mas quero pensar no Noroeste até o fim do Paulistão." Segundo Fernando, a proposta do Japão foi do JEF United. "Eles já queriam levar o jogador hoje", explica. "Mas é chato falar dos interesses das equipes. Há muitos clubes, e eles querem sigilo." Otacílio Neto tem 25 anos e foi responsável por 62,5% dos gols do Noroeste no Paulistão - o time do interior balançou a rede por 16 vezes. O jogador espera, antes de se transferir, confirmar a artilharia e disputar as semifinais com o time de Bauru. "Estamos na luta e se matarmos os adversários em casa, vamos nos classificar."

Tudo o que sabemos sobre:
NoroestePaulistão A-1Otacílio Neto

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.