Arquivo/Estadão
Arquivo/Estadão

Grandes jogos da Copa do Mundo de 1970

Mudanças nas regras do futebol, Beckenbauer com o braço enfaixado e glória brasileira marcaram competição no México

Ciro Campos, O Estado de S.Paulo

11 Maio 2018 | 03h00

A Copa do Mundo de 1970 trouxe duas grandes inovações nas regras do jogo. Coube, portanto, às equipes que iniciaram o torneio a glória de ficarem marcadas. Os grandes times de Brasil, campeão, e Itália, vice, também fizeram bonito e são lembradas como as que praticaram o melhor futebol naquela edição da competição.

Confira a página especial sobre a Copa do Mundo de 2018

INFOGRÁFICO - Brasil, a camisa mais pesada do futebol mundial

ESPECIAL - 15 anos do Penta, nossa última conquista

MÉXICO 0 X 0 UNIÃO SOVIÉTICA

A partida de abertura da Copa não tem gol, mas ficou para a história. O empate inaugurou duas novas regras marcantes. A primeira delas foi a de cartões, que foi criada para facilitar a comunicação do árbitro com os jogadores. A outra foi a de substituição. No time europeu, Puzach entrou no segundo tempo e inaugurou a novidade.

ITPALIA 4 X 3 ALEMANHA

Após o empate em 1 a 1 no tempo normal, as duas seleções foram decidir a vaga na final da Copa no tempo extra. A prorrogação foi eletrizante, com cinco gols, reviravoltas e vitória italiana. O jogo foi tão épico que Franz Beckenbauer atuou com o braço amarrado ao corpo após deslocar o ombro direito.

BRASIL 4 X 1 ITÁLIA

A supremacia brasileira ficou clara em plena decisão de Copa do Mundo. O quarto gol, por exemplo, teve o passeio da bola pelos pés de vários jogadores até a conclusão certeira do lateral Carlos Alberto. Antes disso o time campeão já havia demonstrado talento e grande domínio sobre o adversário.

NÚMEROS DA COPA

Jogos: 32

Gols: 95

Amarelos: 51

Vermelhos: 0

Público total: 1,6 milhão de pessoas

Cidades-sede: 5

Estádios: 5

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.