Acervo/Estadão
Acervo/Estadão

Grandes jogos da Copa do Mundo de 1986

Campeã Argentina, França de Platini contra o Brasil de Zico, Sócrates e Careca, e 'novidade' Dinamarca se destacaram no Mundial

Leandro Silveira, O Estado de S.Paulo

11 Maio 2018 | 03h00

Quatro seleções se destacaram na Copa do Mundo de 1986, no México, em momentos diferentes. Na primeira fase, a Dinamarca encantou o mundo - mas não foi páreo para a 'fúria' espanhola nas oitavas de final. O estelar Brasil caiu para a França nos pênaltis nas quartas de final, e a vitória da Argentina de Maradona sobre a Alemanha do técnico Beckenbauer foram os grandes jogos deste Mundial.

Confira a página especial sobre a Copa do Mundo de 2018

INFOGRÁFICO - Brasil, a camisa mais pesada do futebol mundial

ESPECIAL - 15 anos do Penta, nossa última conquista

18/06 - Dinamarca 1 x 5 Espanha

Com vitórias sobre Escócia, Uruguai - um massacre de 6 a 1 - e Alemanha, a Dinamarca chegou como favorita pata o duelo com a Espanha pelas oitavas de final e já apelidada de "Dinamáquina". E o gol de Jesper Olsen que abriu o placar do jogo reforçou esse cenário. A Espanha e Butragueño, porém, estavam em dia de "Fúria". O atacante empatou o jogo ainda na etapa inicial e marcou mais três vezes no segundo tempo. Goicoechea completou a goleada de 5 a 1. 

21/06 - Brasil 1 x 1 França (3 x 4 nos pênaltis)

Brasil e França fizeram um duelo equilibrado no Jalisco, com Careca e Platini marcando os gols do jogo no primeiro tempo. Na etapa final, um passe magistral de Zico culminou em pênalti cometido sobre Branco. Zico, que lutou durante meses para jogar a Copa por causa de uma grave lesão no joelho, teve a chance de colocar o Brasil na semifinal, mas parou em Bats. Na disputa de pênaltis, Sócrates e Julio Cesar falharam. Assim, nem o erro de Platini foi suficiente para evitar a queda da seleção. 

29/06 - Argentina 3 x 2 Alemanha

A final na Cidade do México reuniu a Argentina, que se apoiou no talento individual de Maradona para avançar na Copa, e a Alemanha, que só havia brilhado na semifinal contra a França. E, em campo, a melhor campanha sul-americana parecia prevalecer após Brown e Valdano colocarem a equipe em vantagem. Rummenigge e Völler empataram o jogo e deixaram a definição do campeão sob suspense. Um passe magistral de Maradona para Burruchaga marcar o terceiro gol da Argentina definiu a decisão. 

NÚMEROS DA COPA

Jogos - 52

Gols - 132

Equipes - 24

Cartões vermelhos - 7

Público - 2.394.031 (46.039 por jogo)

Cidades-sede - 9

Estádios - 12

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.