Luca Bruno/AP
Luca Bruno/AP

Grandes jogos da Copa do Mundo de 2010

Goleada alemã, defesa de Suárez e título espanhol marcaram a competição ocorrida em solo africano

Glauco de Pierri, O Estado de S.Paulo

11 Maio 2018 | 03h00

O Mundial da África do Sul não teve uma média de gols das mais elevadas, mas também reservou sua dose de emoção aos torcedores. Além da final disputada entre Holanda e Espanha, o torneio assistiu duelos espetaculares com Alemanha x Inglaterra, marcado pela arbitragem polêmica, e Uruguai x Gana, com "la mano de Dios" de Luis Suárez.

Confira a página especial sobre a Copa do Mundo de 2018

INFOGRÁFICO - Brasil, a camisa mais pesada do futebol mundial

ESPECIAL - 15 anos do Penta, nossa última conquista

​HOLANDA 0 X 1 ESPANHA

Em uma das finais de Copas do Mundo mais violentas da história, holandeses e espanhóis trocaram os papéis históricos que até então suas seleções carregavam. A Holanda, que tinha um futebol conhecido como ‘total’ e sempre vistoso, trocou a habilidade por um jogo mais rígido e sisudo e a Espanha, que sempre buscava vencer seus jogos na ‘base da força’, era o time que praticava o futebol mais bonito do Mundial. Contudo, os holandeses vinham de seis vitórias em seis jogos, passando por grandes adversários, como Brasil e Uruguai.

A decisão foi a que mais registrou cartões em toda a história das Copas – 14, sendo 9 deles apenas para a Holanda (8 amarelos e um vermelho para o zagueiro Heitinga). Com a pancadaria rolando solta, o empate sem gols persistiu até os 11 minutos do segundo tempo da prorrogação, quando Fabregas encontrou Iniesta na entrada da área. O meia bateu sem chances para o goleiro Stekelenburg e decretou o primeiro título mundial para a Espanha, e o terceiro vice-campeonato holandês.

ALEMANHA 4 X 1 INGLATERRA

Alemanha e Inglaterra disputaram um dos jogos mais polêmicos da Copa do Mundo de 2010. No Free State Stadium, em Bloemfontein, uma decisão equivocada da arbitragem mudou a história do jogo e talvez dos mundiais de futebol. Aos 38 minutos do segundo tempo, os alemães venciam os ingleses por 2 a 1, (gols de Klose e Podolski para a Alemanha e Upson para a Inglaterra). O meio-campista inglês Frank Lampard chutou forte, a bola bateu no travessão do goleiro Neuer e claramente ultrapassou a linha do gol, mas o árbitro uruguaio J. Larriano mandou o jogo seguir.

Depois disso, a Inglaterra partiu para cima para tentar o empate, mas acabou levando mais dois gols em contra-ataques, ambos feitos por Muller.

URUGUAI 1 (4) X (2) 1 GANA

O confronto entre sul-americanos e africanos poderia ter levado uma seleção da África pela primeira vez à uma semifinal de Copa do Mundo. Os ganeses saíram na frente aos 47 do primeiro tempo com Muntari, mas Forlán empatou aos 10 da segunda etapa. Nos descontos do jogo, o time africano teve a grande chance de definir o resultado e entrar para a história – em um lance de ataque do time africano, a bola passou pelo goleiro Muslera e o atacante Luis Suárez colocou a mão para evitar o gol. O problema é que o atacante Gyan, craque do time, chutou no travessão. Depois de mais um empate na prorrogação, os uruguaios venceram nos pênaltis, com direito a cobrança cheia de emoção do atacante Loco Abreu.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.