Grava ganha ação contra o Corinthians

O médico Joaquim Grava ganhou na segunda-feira em primeira instância ação trabalhista movida contra o Corinthians no valor de R$ 1,2 milhão, mas que pode chegar a R$ 5 milhões. Ele cobra do clube pagamento de horas extras, feriados, domingos e premiações não pagas em conquistas de títulos durante os 25 anos em que esteve no cargo. Os advogados do médico farão a execução provisória da pena, pedindo a penhora do contrato do argentino Tevez. O valor da ação poderá chegar aos R$ 5 milhões porque o juiz Carlos Roberto Ferraz de Oliveira Silva, da 44.ª Vara do Trabalho, pediu o que se chama liquidação de sentença, que nada mais é que uma perícia sobre o que Grava teria direito a receber. Há prazo para recorrer. "Temos R$ 1,2 milhão da alçada garantidos e mais o que nossas contas nos indicarem. Somas preliminares apontam para uma indenização de R$ 5 milhões. Ou o Corinthians paga ou ficaremos com parte de uma futura negociação de Tevez", diz o advogado de Grava, Ricardo Innocenti, da Innocenti Associados.O advogado do Corinthians, Sérgio Grassini, confirma a sentença em primeira instância da Justiça do Trabalho, mas ressalta que o processo ainda não acabou e que o valor pode aumentar como também diminuir. "Vamos recorrer ao TRT. Nada ainda está decidido", comenta. A perícia do valor total pode levar 5 meses.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.