Gravação inocenta Benzema em caso de prostituição infantil

EFE

21 de julho de 2011 | 12h43

PARIS - Uma gravação da prostituta que supostamente teve relações sexuais com o atacante Karim Benzema, do Real Madrid, quando ela era menor de idade, inocenta o jogador do time merengue, acusado há um ano de prostituição infantil, divulgou nesta quinta-feira o jornal francês Le Parisien.

A fita, na qual a prostituta conhecida como Zahia nega que manteve relações sexuais com Benzema a um ex-cliente, põe em xeque as acusações contra o atacante.

Trata-se de um jogador cujo nome não foi revelado e que falou no telefone com Zahia em abril de 2010, após explodir o escândalo, para gravar secretamente as respostas da jovem.

Na gravação, o ex-cliente interroga Zahia sobre a identidade dos jogadores com os quais teve relações sexuais, e a prostituta responde com um breve "não" à pergunta sobre se Benzema estava incluído nessa lista.

"Isso demonstra a inocência do meu cliente e que as acusações são falsas. Em particular, Zahia reconhece que não ocorreu nada", ressaltou o advogado do jogador, Sylvain Cormier, em declarações ao jornal francês.

A fita foi apresentada pela defesa de Benzema no marco de um processo por difamação. Zahia declarou perante o juiz que, durante a relação sexual em uma suíte do hotel Le Méridien de Paris, em maio de 2008 - quando ela tinha 16 anos e ele 19 -, ela pediu a Benzema mil euros, mas este só tinha deixado 500 euros.

A ex-namorada do atacante, Camélia E., desmentiu a versão ao garantir que o jogador estava com ela, e não com Zahia na suposta noite.

O caso Zahia afeta também o meia Franck Ribéry, do Bayern de Munique, que solicitou supostamente os serviços da prostituta e participou de uma orgia com ela, uma outra menina e um amigo do jogador.

Tudo o que sabemos sobre:
Benzemafutebol

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.