Grêmio arma 'Big Brother' na Arena para vigiar torcida

Grêmio arma 'Big Brother' na Arena para vigiar torcida

Para o jogo contra o Santos, na quinta, clube manda instalar câmeras no setor em que foram feitos insultos racistas à Aranha

Raphael Ramos - Enviado especial a Porto Alegre, O Estado de S. Paulo

17 Setembro 2014 | 05h00

O Grêmio armou uma espécie de “Big Brother” para o retorno de Aranha, goleiro do Santos, à Arena, nesta quinta-feira, pela 22.ª rodada do Campeonato Brasileiro. Na última vez que o santista esteve no estádio, no dia 28 de agosto, pelas oitavas de final da Copa do Brasil, ele foi vítima de insultos racistas por parte da torcida gaúcha e, por causa do comportamento desses gremistas, o clube foi excluído do torneio pelo STJD. 

Para o jogo desta quinta, o clube gaúcho resolveu direcionar boa parte das câmeras do circuito interno de segurança da Arena para o setor da arquibancada norte, o mais popular do estádio, sem cadeiras. É ali, atrás de um dos gols, que fica a torcida Geral, a principal organizada do Grêmio, e de onde partiram os gritos de “macaco” e “preto fedido” ao goleiro Aranha.

A diretoria também decidiu infiltrar funcionários no meio da torcida. “Teremos um número maior de orientadores distribuídos justamente na região da arquibancada norte, alguns sem colete de identificação, para observarem qualquer tipo de comportamento sem civilidade por parte dos torcedores”, disse ao Estado o assessor especial para Assuntos de Torcida do Grêmio, Lauro Noguez. 

Outra atitude inédita da direção gremista foi diminuir a carga de ingressos da ala norte e vender os bilhetes desse setor exclusivamente pela internet. Na arquibancada norte cabem aproximadamente 5.500 torcedores, porém serão comercializadas apenas 3.200 entradas. Normalmente, cada torcedor pode comprar até quatro ingressos, mas para o jogo a venda será individual.

“Dessa vez não vamos colocar ingressos à venda na bilheteria. Teremos apenas a venda individual, um ingresso por comprador, na internet. Adotamos essa medida porque fica mais fácil identificar o torcedor, que precisa fazer o cadastro com nome, CPF, RG, endereço e telefone para comprar pela internet. É uma maneira de individualizar o comprador e identificá-lo”, disse Noguez.

A Geral está suspensa por tempo indeterminado dos jogos do Grêmio. A organizada está proibida de usar marcas do clube, como faixas, roupas e adereços. “Hoje não há tendência para abrandar ou agravar essa punição”, afirmou Noguez.

O Santos preparou um esquema de segurança especial para o jogo. A delegação desembarca nesta quarta-feira em Porto Alegre, mas a diretoria não revelou o horário do voo nem o hotel onde os jogadores ficarão hospedados. O número de seguranças foi reforçado.

Mais conteúdo sobre:
futebol Brasileirão Santos FC Grêmio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.