Lucas Uebel/Grêmio
Lucas Uebel/Grêmio

Grêmio bate o Internacional nos pênaltis e conquista o Campeonato Gaúcho

Tricolor fatura título estadual com vitória por 3 a 2 nas penalidades, após empate por 0 a 0 no tempo normal

Redação, O Estado de S.Paulo

18 de abril de 2019 | 00h07

Em um jogo muito truncado, com faltas ríspidas e poucas chances de gol, o Grêmio sagrou-se campeão gaúcho de 2019 na disputa de pênaltis, em que triunfou por 3 a 2 sobre o Internacional, nesta quarta-feira, na Arena, diante de 51.003 torcedores, após empate sem gols no tempo normal, mesmo resultado de domingo do primeiro duelo no Beira-Rio. Esta foi a centésima edição do campeonato estadual do Rio Grande do Sul.

O destaque foi o goleiro Paulo Victor, que defendeu três cobranças para garantir a 38ª taça estadual. Este foi o Gre-Nal número 420, que reúne 156 coloradas, 131 tricolores e 133 empates. O Grêmio ganha o título invicto, com 11 vitórias e seis empates. A defesa só sofreu um gol, enquanto o ataque marcou 38 gols.

O JOGO

Para honrar as tradições do grande clássico gaúcho, o começo do Gre-Nal foi tremendamente intenso. Com cinco segundos, Pottker fez falta em Cortez. Com sete minutos, Kannemann e Pottker já haviam recebido o cartão amarelo, Renato Gaúcho e Odair Hellmann gesticulavam o tempo todo e cada lance tinha a participação dos 50 mil torcedores, que lotaram a arena.

As defesas dominavam os ataques. O primeiro lance de perigo só ocorreu aos 15 minutos. Everton chutou de fora da área, Macelo Lomba foi enganado pelo quique da bola e André, impedido, chutou para o gol. Após três minutos de paralisação, o VAR ratificou a marcação do assistente Rafael da Silva Alves.

Aos poucos, o Grêmio tentou ter a iniciativa do jogo, mas o Inter não deixou e foi incomodar Paulo Victor, aos 20 minutos, com uma cabeçada fraca de Guerrero. O escape do time colorado foi exatamente com o centroavante peruano, que travou grande duelo com o argentino Kannemann.

Com toques rápidos e boas triangulações, empurrado pelo entusiasmo de seus torcedores, o Grêmio passou a ficar mais perto de abrir o placar. Aos 29 minutos, Jean Pyerre arriscou de longe e levou perigo ao gol de Lomba.

O clima não se acalmou em campo com o passar do tempo. Pelo contrário. Guerrero deu um empurrão em Kannenman e levou amarelo. Até o goleiro reserva do Inter, Daniel, recebeu cartão por causa de reclamação.

Mas Guerrero não brigou só com os jogadores do Grêmio, o atacante lutou muito também pela bola. Em dois momentos cabeceou com perigo. Na primeira, forçou Paulo Victor a fazer bela defesa.

Marcelo Lomba também teve de se esforçar, aos 45, após bonito e longo chute do lateral-direito Leonardo Gomes. Depois dessa tentativa, Matheus Henrique e Maicon também arriscaram, mas erraram o alvo.

O segundo tempo começou com domínio do Grêmio, que empurrou o Inter para o seu campo. Destaque para a forte marcação de Zeca sobre Everton. Apesar da pressão, o time tricolor não conseguiu furar o bloqueio rival e precisou tentar de longa distância com Alisson.

O Inter mostrou sua força em dois momentos seguidos. Em jogada individual, Edenílson fez Paulo Victor trabalhar, assim como Rodrigo Moledo em boa cabeçada. Renato percebeu que precisava mexer no Grêmio e chamou Luan no banco de reservas, mas o atacante não entrou bem.

Aos 24 minutos, o lance mais polêmico do jogo. O juiz Jean Pierre marcou pênalti de Parede em Cortez. Revolta total no Inter. Parede leva amarelo e D'Alessandro (no banco) e o técnico Odair Hellmann são expulsos. Os dois só deixam o gramado após muita confusão. Com quase nove minutos de paralisação, André cobrou o pênalti para defesa de Marcelo Lomba.

O Grêmio sentiu a perda do pênalti. Renato Gaúcho percebeu e colocou o experiente Diego Tardelli em campo. O Inter passou a ter mais a bola, mas não levou perigo ao gol de Paulo Victor.

Nos nove minutos de acréscimos o que se viu foi uma postura diferente dos times. O Grêmio no contra-ataque, aproveitou a saída de Zeca para concentrar as jogadas pelo lado esquerdo. Foi assim que Everton, em duas jogadas individuais, quase fez o gol do título.

A disputa foi para os pênaltis. Paulo Victor pegou as cobranças de Camilo, Victor Cuesta e Nico López. Rafael Sóbis e Guerrero marcaram. Do lado do Inter Marcelo Lomba pegou a batida de Michel e viu Everton chutar fora. Tardelli, Matheus Henrique e André marcaram.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.