Grêmio começa a preparar transição na presidência

Com o time garantido na Libertadores do ano que vem e a Arena Grêmio prestes a ser inaugurada, o clima dentro do Grêmio é excelente. Prova disso é a tranquila transferência de poder do atual presidente Paulo Odone para seu adversário nas eleições passadas, o presidente eleito Fábio Koff, que assume em 21 de dezembro.

AE, Agência Estado

27 de novembro de 2012 | 15h25

Na manhã desta terça-feira os dois se reuniram pela primeira vez para tratar do processo de transição. Além dos presidentes, a reunião contou com membros do conselho de administração de ambas as partes e com a intermediação do presidente do conselho deliberativo, Raul Régis de Freitas Lima.

"A transição já vem sendo feita, como no futebol e na parte financeira, por exemplo. Com a vinda do presidente Koff, definitivamente deflagramos o processo e definimos o que fazer daqui por diante", afirmou Odone.

"Sabemos distinguir o que é uma eleição e o que é a vida pós a eleição. Tenho um convívio de passado muito grande com o presidente Koff aqui no Olímpico, e temos a obrigação de dar por superados os episódios de uma eleição. Tivemos uma conversa civilizada para garantir o Grêmio que haja uma continuidade como instituição", declarou o atual presidente.

Koff também comemora a atual fase do Grêmio. Dentro e fora de campo. "Vamos viver um momento inédito na história do clube. Não só pela mudança da sede física, do Olímpico para a Arena, mas porque estamos acertando a transição. A data é meramente um número, mas nós queremos atender os interesses maiores do Grêmio", garantiu Koff, que já negociou a renovação de Luxemburgo e trata da contratação de reforços.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolGrêmioBrasileirão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.