Lucas Uebel/Grêmio
Lucas Uebel/Grêmio

Grêmio critica decisão da Conmebol sobre final e analisa recurso

Presidente do clube gaúcho se diz decepcionado com entidade por ter mantido o River Plate na decisão da Libertadores

Estadão Conteúdo

03 Novembro 2018 | 22h42

A decisão tomada pela Conmebol neste sábado de rejeitar o pedido do Grêmio e confirmar o River Plate na decisão da Copa Libertadores contra o Boca Juniors - além de uma suspensão de quatro partidas e multa de US$ 50 mil (R$ 184 mil) ao técnico Marcelo Gallardo - irritou profundamente e causou enorme indignação à diretoria do clube gaúcho.

"É uma profunda decepção e que me faz rever muitos conceitos. O que aconteceu nesse um dia e meio de deliberação, alguém um dia vai contar. Se fosse para tomar essa decisão tão pífia e escrever em duas folhas e meia... Sinceramente. O Grêmio fez o que tinha de fazer, de cabeça erguida e com muita hombridade. Está dizendo que a decisão é absurda, antijurídica e afrontosa. O tribunal se coloca de cócoras", disse o presidente do clube, Romildo Bolzan Junior, em entrevista à rádio Gaúcha logo após a decisão da Conmebol ser revelada.

"É uma decisão que desmoraliza e desacredita por inteiro o futebol sul-americano. É praticamente incentivar processo de consumar a falcatrua", declarou o dirigente do Grêmio, que vai se reunir com o departamento jurídico do clube para analisar se é válido entrar com recurso. Mas já diz que nem isso vai mudar o resultado.

"Vamos examinar o recurso, ver se cabe e até onde podemos ir. O jogo vai ser jogado. E jogo jogado é resultado posto. Podemos recorrer por dignidade, mas a final (da Libertadores) vai ser jogada", afirmou Romildo Bolzan Junior.

A Conmebol já havia sinalizado que não aceitaria a denúncia ao confirmar as datas das finais. As duas partidas da decisão estavam previstas para os dias 7 e 28 deste mês. Uma reunião do G-20 (grupo dos 20 países mais ricos do mundo) em Buenos Aires fez as autoridades argentinas pedirem a mudança das datas para os próximos dias 10 e 24 (dois sábados).

Na véspera da decisão da Conmebol, Marcelo Gallardo concedeu entrevista coletiva em Buenos Aires. O técnico do River Plate disse que foi movido "por impulso" para ajudar a sua equipe, mas que entendia que seu clube não deveria ser tirado da final.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.