Grêmio derrota Corinthians por 4 a 0

Oswaldo de Oliveira teve o que queria na noite desta quarta-feira em Porto Alegre. O treinador desejava que o Grêmio atacasse muito o Corinthians. Resultado: humilhante derrota por goleada, 4 a 0. Além de todo clima ruim que volta a dominar o time corintiano diante do desastroso resultado, Fabinho foi expulso e não enfrentará o Palmeiras no clássico de domingo no Morumbi.?A desanimação do nosso time é grande com essa derrota. Precisamos ver o que está acontecendo?, disse Gil, abatido. O atacante completou nesta quarta-feira 169 dias sem fazer gol.Oswaldo estava muito confiante antes da partida. Tinha a certeza de que o Corinthians teria mais espaço para jogar, porque o Grêmio seria obrigado a tomar a iniciativa por atuar em casa. O plano do time paulista era primeiro marcar forte e buscar os contragolpes em velocidade.Os volantes Fabinho, Rincón e Fabrício tinham o auxílio de Piá para povoar a intermediária. Gil ficaria bem aberto pela esquerda e Jô, pela direita. O técnico Adílson Batista sabia das intenções do rival. Mas pressionado pela necessidade de vencer, colocou seu Grêmio no ataque.Os primeiros minutos foram enganosos. O Corinthians começou marcando muito bem, ainda na intermediária gaúcha. O Grêmio tinha dificuldade em sair com a bola dominada. Mas demonstrando a fragilidade do elenco, os jogadores de Oswaldo roubavam a bola, mas nada produziam de útil.A partida tinha um nível técnico péssimo, os dois times brigavam na intermediária. Os erros de passe se seguiam. Mas o Grêmio começava a melhorar e a defesa do Corinthians, a demonstrar seus erros.O número excessivo de volantes do Corinthians não assegurava proteção aos zagueiros. O time começou a se arrepender por dar espaço na intermediária aos 21 minutos. Bruno descobriu Christian livre no meio da defesa e o atacante não teve coragem de perder o gol na saída de Fábio Costa: 1 a 0.Bastou o gol para desmanchar a confiança que o time do Corinthians havia dito ter adquirido após a vitória contra o Paysandu. Os corintianos ficaram intimidados e passaram a aceitar o domínio do Grêmio. Era inacreditável o espaço dado à frente da área. Foi assim que Leanderson, aos 38 minutos, deixou Christian à vontade para outra vez marcar diante de Fábio Costa: 2 a 0.?Não podemos tomar gols por desatenção. Assim fica difícil?, reclamava Rincón. No intervalo, Oswaldo trocou Fabrício por Bobô. Wílson já estava em campo no lugar de Jô, contundido. Mas, a um minuto do segundo tempo, Leanderson deixou Bruno cara a cara com Fábio Costa e o chute saiu forte pelo alto: 3 a 0 para o Grêmio.Com a vitória desenhada, os gaúchos trataram de diminuir o ritmo. E o Corinthians não tinha como reagir. Tudo ficaria pior quando Fabinho foi expulso aos 15 minutos por fazer falta por trás em Bruno. Mas o time paulista contou com a ajuda do árbitro Elvécio Zequetto, que não quis marcar um pênalti de Váldson em Marcelinho aos 21. Só que o árbitro não teve como impedir que Marcelinho driblasse Renato e Váldson pela direita. Ele invadiu a área e chutou, Coelho cortou, mas a bola sobrou para Fábio Pinto, que tocou para o fundo do gol. Aos 27 minutos, 4 a 0. Mas nada mudou. O Corinthians continuou acuado. Sorte que o Grêmio estava satisfeito. Se não, tudo seria ainda pior.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.