Grêmio e Botafogo empatam no Olímpico

O Botafogo esteve muito perto de conquistar sua primeira vitória no Campeonato Brasileiro, mas não soube tirar proveito da confusão tática do Grêmio e nem segurar a vantagem de dois gols que chegou a ter na metade do segundo tempo. No fim, o empate por 2 a 2, no Olímpico, frustrou o time visitante e acabou aliviando o time que jogava em casa. O resultado deixou o Grêmio com sete pontos e o Botafogo com três, ainda na zona de rebaixamento. O Botafogo começou a partida exagerando nos cuidados defensivos, deixando somente Luizão na frente. Mas logo percebeu que o esquema do Grêmio, uma tentativa de voltar ao 4-3-3 da década de 70 do século passado, deixava muito espaço no meio-campo, onde apenas Luciano Ratinho estava encarregado de criar jogadas e não conseguia acionar os atacantes Fábio Pinto, Marcelinho e Christian. Mais solto, o Botafogo passou a reter a bola, trocar passes e criar jogadas de ataque, tanto que, antes de marcar o primeiro gol, já tinha assustado os tricolores duas vezes, com chutes de Carlos Alberto, de fora da área. Aos 26 minutos, o zagueiro Sandro surpreendeu os gremistas. Ele surgiu livre na área e teve tempo para dominar a bola no peito e marcar 1 a 0. Decepcionada, a torcida gaúcha transformou os murmúrios de desaprovação ao time em vaia aberta ao time e ao técnico Adílson Batista, que vem mudando de esquema e de escalação a cada jogo deste campeonato. Em vantagem, o Botafogo tratou de redobrar a atenção na marcação. Diante das adversidades, o Grêmio tentou reagir na base do esforço e da correria. Em contra-ataques, o Botafogo também levava perigo. Aos 25 minutos do segundo tempo, Luizão tabelou com Ruy e, ao receber o passe de volta, marcou o segundo gol, de cabeça. A torcida gremista passou a gritar "olé" a cada troca de passes do Botafogo, demonstrando toda sua inconformidade com a impotência do time. Apesar da desorganização, o Grêmio chegou ao empate numa reação que pode ser explicada pela vontade, mas não pela técnica dos jogadores ou pelo esquema tático. Aos 34 minutos, Élton bateu forte e Rico desviou a bola para as redes, descontando para 2 a 1. Aos 41 minutos, Tiago Prado pegou a sobra de uma bola lançada na área e empatou o jogo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.