Lucas Uebel/Grêmio
Lucas Uebel/Grêmio

Grêmio é inocentado de caso de injúria racial e Inter pagará multa por ataque a ônibus

Caso é referente ao Gre-Nal do dia 26 de fevereiro, válido pela primeira fase do Campeonato Gaúcho

Redação, O Estado de S.Paulo

21 de março de 2022 | 16h34

O Tribunal de Justiça Desportiva do Rio Grande do Sul julgou nesta segunda-feira as denúncias dos episódios ocorridos no Gre-Nal do dia 26 de fevereiro pelo Campeonato Gaúcho. O Internacional foi julgado no artigo 211 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva e punido com multa de R$ 100 mil pelo ataque ao ônibus gremista. Já o Grêmio foi denunciado no artigo 243-G VII e absolvido do caso de injúria racial.

Os dois clubes foram julgados por arremesso de cadeiras (artigo 213), mas só o time do Beira-Rio foi punido, com multa de R$ 50 mil. Cabem recurso das decisões e a Procuradoria do TJ-RS vai recorrer das duas absolvições ao Grêmio

O Gre-Nal do dia 26 de fevereiro foi adiado devido a um ataque ao ônibus que levava a delegação gremista e feriu alguns jogadores. O paraguaio Villasanti foi atingido na cabeça por uma pedra e teve uma concussão, segundo o departamento médico do clube.

Caso de injúria racial no Gre-Nal

Um torcedor do Grêmio foi filmado entoando um cântico discriminatório imitando um macaco em direção a rivais do Inter. O Grêmio usou suas redes sociais para lamentar o ocorrido e repudiar o ato discriminatório. A nota, no entanto, também acabou bastante questionada por não pedir rigidez contra o próprio torcedor envolvido.

"O Grêmio é um clube de todos, e temos muito orgulho disso. No nosso sangue e na nossa história estão as marcas dos povos do mundo todo. Manifestamos total repúdio a qualquer manifestação de cunho racista ou preconceituoso", diz a nota.

"Temos certeza de que a absoluta maioria da torcida gremista e dos cidadãos gaúchos também repudiam atos dessa natureza. A busca por combater ações discriminatórias é diária dentro do Grêmio, com uma série de ações práticas nesse sentido, e essa postura permanecerá para que episódios de preconceito de qualquer ordem não sejam mais vistos dentro de um estádio de futebol e na sociedade".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.