Grêmio emite nota oficial contra torcida neonazista

Polícia gaúcha encontra até foto de torcedores com a suástica no lugar do escudo do clube

03 de outubro de 2007 | 13h11

Após integrantes de uma torcida organizada terem sido identificados pela polícia com símbolos nazistas, a diretoria do Grêmio emitiu um comunicado oficial criticando qualquer ato de preconceito.   Veja também:  PM identifica movimento neonazista em torcida do Grêmio   A polícia encontrou, após investigação pela internet, fotos de torcedores com bandeiras com a suástica no lugar do escudo do Grêmio.   Segundo o delegado Paulo César Jardim, responsável pelo caso, três homens já foram presos por ter agredido um estudante, após jogo contra o Inter.   Leia na íntegra a nota do Grêmio:   O Grêmio é o clube com a maior torcida do sul do Brasil e o futebol é um esporte que prima pela democracia e a capacidade de sociabilidade.   Seus torcedores representam as mais diferentes etnias e credos. Defendem as mais diferentes ideologias políticas e religiosas. Pertencem as mais diferentes classes sociais, sem distinção de cor e condição financeira.   Todos unidos por uma paixão maior que é o Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense.   No momento em que seguidores se aproveitam de um suposto anonimato no meio da multidão usando o Grêmio para enaltecerem ideologias preconceituosas, o Clube se coloca contrário e à disposição da polícia para que estes indivíduos sejam punidos e banidos da convivência de outros torcedores.   É sempre bom ressaltar que a torcida gremista é formada, em sua maioria, por pessoas de bem, que vêm no futebol uma forma de lazer e de diversão, passando adiante uma idéia de convivência pacífica como deve ser a relação humana.   Infelizmente, indivíduos incapazes de conviver socialmente existem em todos os lugares, em todas as áreas.   O Grêmio se sente vítima destes maus torcedores e afirma que disponibilizará de todos os recursos para que todas as medidas legais sejam tomadas.

Tudo o que sabemos sobre:
Grêmio-RS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.