Lucas Uebel/Grêmio
Lucas Uebel/Grêmio

Grêmio encara Universidad Católica no Chile de olho na liderança

Mal no Campeonato Brasileiro, equipe de Renato Gaúcho disputa posição no grupo da Libertadores com o rival Inter

Redação, Estadão Conteúdo

16 de setembro de 2020 | 07h25

Cheio de desfalques, o Grêmio reinicia sua trajetória na Copa Libertadores nesta quarta-feira, às 21h30, diante da Universidad Católica. O duelo será realizado no estádio San Carlos de Apoquindo, em Santiago, no Chile, e é válido pela terceira rodada da fase de grupos da competição, que foi retomada após seis meses de paralisação em função de pandemia de covid-19.

Mal no Campeonato Brasileiro, no qual ainda não deslanchou, o Grêmio é vice-líder do Grupo E da Libertadores, com quatro pontos, fruto de uma vitória e um empate, e está atrás do arquirrival e líder Internacional, pelo inferior saldo de gols. A Universidad Católica é a lanterna da chave, com nenhum ponto somado.

A equipe gaúcha jogará no Chile repleta de baixas, uma delas confirmada de última hora: o meia-atacante Everton, fora por conta de um quadro de gripe. O volante Maicon teve lesão muscular de grau um na coxa direita e vai parar por pelo menos 15 dias.

Entre os principais atletas do elenco, os outros lesionados são o lateral Victor Ferraz e o atacante Pepê, que iniciaram a transição para a parte física, mas ainda não estão liberados para jogar, além do zagueiro Kannemann e o meia Jean Pyerre, estes que evoluíram de suas lesões, mas também precisam de mais dias para concluírem o processo de recuperação.

Fora os machucados, há a ausência do zagueiro Paulo Miranda, suspenso por quatro partidas em razão da expulsão no Gre-Nal da segunda rodada, em 12 de março, antes da paralisação do torneio forçada pela pandemia da covid-19.

Assim, a provável escalação do time tricolor deve ser muito semelhante a que o técnico Renato Gaúcho utilizou nos últimos jogos do Brasileirão, com David Braz na vaga de Kannemann e Darlan e Lucas Silva disputando um lugar no meio de campo. Outra possibilidade é a escalação de Robinho no posto de Isaque. No ataque, Luiz Fernando é o mais cotado para substituir Everton.

DECISÃO

A partida desta quarta tem caráter de decisão para a Universidad Católica. Isso porque o time chileno ainda não pontuou na Libertadores e, se sofrer mais um revés, estará praticamente eliminado da competição. Portanto, o líder do Campeonato Chileno joga todas as suas fichas neste confronto em casa para permanecer vivo no torneio.

A Universidad Católica tem três desfalques por lesões: Juan Cornejo sofreu um entorse de ligamento, Francisco Silva tem uma ruptura no quadríceps, Cristopher Toselli apresenta um problema no joelho e Alfonso Parot, uma distensão.

Além disso, não se sabe se o técnico Ariel Holan poderá contar com o zagueiro Benjamin Kuscevic, que negocia sua transferência ao Dínamo de Zagreb, da Croácia. No entanto, o treinador tem à sua disposição a base do time titular que tem correspondido nos últimos jogos na liga chilena, que lidera com seis pontos de vantagem para o segundo colocado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.