Divulgação/Grêmio
Divulgação/Grêmio

Grêmio estraga a festa de estreia de Seedorf com vitória sobre o Botafogo

Marcelo Moreno fez o único gol do jogo e acabou com a chance do jogador holandês começar com pé direito

LEONARDO MAIA - Agência Estado,

22 de julho de 2012 | 20h40

RIO - A torcida do Botafogo atendeu à convocação de seu novo ídolo e mostrou toda a empolgação pela estreia de Seedorf, enchendo o Engenhão, neste domingo, para a partida contra o Grêmio, pela 11.ª rodada do Campeonato Brasileiro. Mas o holandês encontrou dificuldades para superar o período de inatividade, viu a sua equipe ter má atuação e não foi capaz de debutar com uma vitória que alegrasse as arquibancadas. A vitória gaúcha por 1 a 0 foi selada com um gol de Marcelo Moreno, após lindo passe do camisa 10 gremista, Zé Roberto.

"Não foi fácil. Posso melhorar, principalmente sabendo o nível em que estou. Vou trabalhar para ajudar o time", analisou Seedorf, que atuou 70 minutos e observou o restante da partida do banco de reservas. O holandês, porém, pôde curtir o apoio de mais de 34 mil botafoguenses, que cantaram o nome do novo ídolo, apesar dos poucos momentos de destaque do meia. "O ambiente foi maravilhoso. Espero que seja sempre assim, porque temos muitos jogos pela frente e vamos precisar do apoio da torcida", pediu Seedorf.

Com 21 pontos, o Grêmio entrou no grupo dos quatro primeiros, na quarta posição. O Botafogo parou nos 17 pontos e caiu para a oitava colocação.

Seedorf gastou os primeiros minutos para tentar um bom posicionamento e se arriscou pouco. Resolveu se ajeitar pela meia-esquerda, trabalhando especialmente com Márcio Azevedo e Fellype Gabriel. Naturalmente, apesar da boa condição física, faltava-lhe melhor fôlego, explosão e ritmo de jogo, o que influenciou em poucas arrancadas.

O técnico Oswaldo de Oliveira surpreendeu ao escolher Andrezinho para deixar o time. Sua intenção era não perder a velocidade de Fellype Gabriel e Vitor Júnior, ciente de que Seedorf cadenciaria a partida.

O holandês mostrou precisão nos passes curtos e longos e deu pelo menos um momento de vibração para os torcedores. Tabelou com Fellype, driblou Gilberto Silva e cruzou para Elkeson, que se esticou mas não conseguiu cabecear bem, aos 28 minutos. Pelo lado gremista, destaque para Leandro, que obrigou Jefferson a boa intervenção, aos 34.

A vitória do clube tricolor gaúcho se estabeleceu logo a quatro minutos da segunda etapa, quando Elano passou para Zé Roberto, que de primeira serviu Moreno. Em vantagem, os gremistas se fecharam num ferrenho ferrolho. A postura podia ter custado caro. Rafael Marques entrou no lugar de Seedorf aos 25 e quase empatou quando resvalou um cruzamento de cabeça e Leo Gago salvou em cima da linha.

Nos minutos finais, cheio de atacantes e meias, o Botafogo se lançou como camicase em busca do empate, mas não foi capaz de criar a situação cristalina que lhe rendesse pelo menos um pontinho em noite tão especial.

BOTAFOGO 0 x 1 GRÊMIO

BOTAFOGO - Jefferson; Lucas, Antônio Carlos, Fábio Ferreira e Márcio Azevedo; Lucas Zen (Willian), Renato, Vitor Júnior, Seedorf (Rafael Marques) e Fellype Gabriel (Andrezinho); Elkeson. Técnico: Oswaldo de Oliveira.

GRÊMIO - Marcelo Grohe; Tony (Anderson Pico), Vilson, Gilberto Silva e Pará; Fernando, Souza, Elano (Marquinhos) e Zé Roberto (Leo Gago); Leandro e Marcelo Moreno. Técnico: Vanderlei Luxemburgo.

GOL - Marcelo Moreno, aos 4 minutos do segundo tempo.

CARTÕES AMARELOS - Renato (Botafogo); Tony, Marcelo Grohe, Zé Roberto e Leandro (Grêmio).

ÁRBITRO - Luiz Flávio de Oliveira (SP).

RENDA E PÚBLICO - Não disponíveis.

LOCAL - Estádio Olímpico João Havelange (Engenhão), no Rio.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.